Piauiense Monalysa Alcântara vence o Miss Brasil 2017

Postado em Domingo, 20 Agosto 2017 07:10
Avalie este item
(0 votos)

A jovem de apenas 18 anos conquistou os jurados com sua beleza estonteante

 

Da Redação do Portal AZ20 e Rede Band de TV

Com seu gingado e o belíssimo sorriso, a jovem representou a beleza, a determinação e a garra das mulheres piauienses em uma competição disputadíssima. Monalysa Alcântara, estudante de 18 anos, é a primeira piauiense a ganhar o Miss Brasil em toda a história do concurso, que nesse ano chegou à sua 63ª edição. Na última etapa, disputando o prêmio com a gaúcha Juliana Mueller, a piauiense foi a grande vencedora por 5 votos a 1. O título de terceiro lugar foi para a Stephany Pim, do Espírito Santo.

 

“Eu, se for eleita Miss Brasil Be Emotion 2017, quero levar o poder para as mulheres, quero dar voz a vocês. Quero mostrar para todos que temos força de vontade, que temos coragem, inteligência e vamos passar por cima do preconceito e do machismo. Obrigada!”, respondeu Monalysa ao defender o seu reinado frente ao júri.


Em momento anterior, na noite deste sábado, a teresinense também mandou muito bem na resposta ao júri:

"Minha super estratégia será ser eu mesma: uma mulher nordestina, que passou por diversas coisas, muitas dores, que fizeram ser quem eu sou hoje. Vou ser eu mesma. Não tem segredo", defendeu Monalysa Alcântara.
O júri técnico do Miss Brasil Be Emotion foi formado por Patrícia Parenza (jornalista de moda), Renata Kalil (editora de beleza da redação Glamour), Gilberto Júnior (coordenador de moda da revista Ela, do jornal carioca O Globo) e pela diretora geral do concurso, Karina Ades.

Monalysa e mais 26 mulheres de todos os estados e do Distrito Federal - consideradas as mais bonitas do país em 2017 - disputaram neste sábado o posto de representante brasileira no Miss Universo.

 

O evento foi exibido e teve cobertura pela Band e cobertura em tempo real na página do Facebook da competição.

 

Prêmios para a grande vencedora

Além da vaga no Miss Universo, a vencedora da competição ganhou uma viagem para Dubai (com voo em classe executiva, hospedagem em hotel 5 estrelas e direito a acompanhante, por cinco dias); um carro Kia Cerato modelo 2018 zero quilômetro; contrato de R$ 100 com a Polishop; um relógio da marca Bulova; e uma jóia (conjunto de brinco e colar) em ouro branco, topázio e quartzo.

Natural de Teresina, Monalysa reside atualmente no bairro São Cristovão, na zona leste. O sonho de ser modelo surgiu na infância, mas o desejo de abrilhantar como Miss nasceu na adolescência. “Sempre quis ser modelo. Já o sonho de Miss era um sonho distante na infância. Porque não se via muitas negras participando de concursos de beleza nessa época, é por isso que eu não acreditava muito que um dia participaria e teria chances de ganhar.

 

Nessa fase também me sentia muito feia e não gostava do meu cabelo e da minha magreza. E por causa disso recebi muitos apelidos. Mas foi na adolescência que as coisas foram mudando e assumi meus cachos e minha personalidade. E busquei na moda, um refúgio e uma porta. E aos 16 anos, comecei a estudar, a gostar de concursos de beleza e a desfilar nas passarelas”, narra a jovem.

Durante a competição para a entrega do título estadual promovida pela emissora Band Piauí, Monalysa declarou que através da história e da vitória de Raíssa Santana no Miss Brasil 2016, ela se sentiu motivada a participar do concurso. “Se teve esse período tão longo para uma negra se tornar uma Miss Brasil (Raissa foi a segunda negra a vencer o concurso na história. Há mais de 30 anos, a gaúcha Deise Nunes levou o título e se tornou a primeira Miss Brasil negra), levando em conta que a boa parte da população é negra, tem algo errado ainda aí e que precisa ser mudado. Não é que ao participar eu vou ter algum tipo de cota ou favorecimento, não estou falando isso. E quando ouvi a Raíssa contando a história, eu e tantas outras garotas se reconheceram. Acredito que agora posso lutar igualmente com as outras candidatas. E esse foi um dos motivos de eu ter participado do concurso”, destaca.

Mesmo com o falecimento do pai aos cinco anos de idade, Monalysa conta que até hoje as pessoas elogiam o caráter e a personalidade dele. “Meu pai é a minha referência. É claro que a minha mãe foi e é importante para mim. Ela é supervisora de uma madeireira e tem muitas qualidades, como uma força muito grande e que a ajudou sustentar os filhos. Já meu pai, ouço muito até hoje, do quanto era honesto, simples, humilde e como ajudava as pessoas. E eu não esqueço essas características, justamente para basear nelas e orgulhar ele onde estiver. Porque sinto com tantas histórias dele, que ele não morreu, sabe?! Porque temos muitas coisas em comum, como a cor. E é por isso que sempre busquei me inspirar nele”, disse.

Neta de quebradeira de coco babaçu, Miss se orgulha da história da família

Ainda segundo a jovem, a família sempre a ensinou a ter garra, foco e a não desistir dos sonhos. “A minha família é um grande exemplo de que nunca posso desistir. E de que se você for pobre não significa que você não pode ‘subir’ e vencer na vida. Meu pai veio de um interior pobre e que só agora chegou energia lá. Meu pai teve a oportunidade de vencer, ingressou em uma família, quando criança, focada na área do Direito, e ele estudou bastante, trabalhou e entrou na polícia civil. Ele era a prova de que você tem batalhar. A família do meu pai era muito grande e bastante pobre. A minha avó era quebradeira de coco babaçu e meu avô era vigia de uma escola em Teresina. E foi quando meu pai decidiu mudar de realidade e veio para Teresina, onde adotado pelos padrinhos dele. E aqui ele conseguiu melhorar de vida e ter condições de ajudar meus tios. Até hoje meus tios são muito agradecidos, pelo o que meu pai fez pra eles”.

 

Monalysa sonha em ser professora
A partir do exemplo e da superação do pai, Monalysa declara que sempre acreditou na educação e por isso almeja um dia exercer o cargo de professora. “Acredito muito na educação e creio que ela pode salvar o Brasil. É claro que esse sonho foi deixado de lado nesse momento, porque estou focada em outros projetos, mas é meu sonho e ainda quero trabalhar com isso e levar conhecimento para muitas pessoas. E creio que sendo Miss posso levar isso também”, disse. A jovem já é ingressa do curso em Administração de Empresas e acredita que a área é essencial para a vida. “É um curso que vai me ajudar bastante, principalmente porque pretendo montar meu próprio e trabalhar com beleza. Também porque quero aprender tanto a administrar meu negócio como a minha vida”, acrescenta.

 

A beleza e o charme da mulher negra distribuídos em um corpo escultural de 58kg e 1.77m. E foram tais atributos físicos, além do belíssimo sorriso, que destacaram a teresinense diante das outras finalistas na disputa estadual. É por isso que quanto às dicas de beleza, Monalysa confessa que passa mais até duas horas cuidando do cabelo.

 

“Se tem uma coisa que sei e que gosto de fazer é de cuidar do meu cabelo. Às vezes fico uma ou até duas horas, só cuidando do cabelo e não fico cansada de fazer isso. Porque o meu cabelo é uma forma de me expressar. Então sempre procuro cremes para cabelos cacheados para hidratá-lo bastante. Porque hidratação é vida, principalmente por causa do nosso clima. Além disso, utilizo óleos para equilibrar a oleosidade e produtos específicos”, elenca.

 

Mas ela acrescenta que não utiliza pente para o cabelo. “Uso o pente garfo para dar volume, mas o pente em si não uso, porque ele quebra muito o cabelo cacheado. Uso os dedos e algumas técnicas que aprendi com os tutoriais no Youtube. Então indico paras as garotas acompanharem esses tutoriais para ter um cabelo saudável”.

 

A Miss Piauí 2017 também conta que bebe bastante líquido e que sempre tem o cuidado de retirar a maquiagem para manter a pele saudável. “É muito importante cuidar da pele, como dos lábios. Confesso que não tinha esse hábito de hidratar os lábios”.