Legislação eleitoral: sem empreiteiras, sem doadores, sem coligações proporcionais

Postado em Segunda, 11 Setembro 2017 06:53
Avalie este item
(0 votos)

Qual será o discurso, as promessas, bandeiras que muitos políticos usarão nas próximas eleições para convencer a população tocantinense?  Quais as estratégias que serão utilizadas, uma vez que no atual cenário o eleitor tem maior poder de escolha e consegue identificar com facilidade falsas promessas?

 

Por: Edson Rodrigues

 

 

 

O maior exemplo de que o eleitorado mudou foram as eleições de 2016, em que mais de 80% dos eleitores optaram por não reeleger os prefeitos que candidataram-se.

 

Muitos podem ainda optar por viajar e assim não realizar o exercício da cidadania, com apenas a justificativa do voto. Poderão anular, ou simplesmente não fazer nada, e apenas pagar a multa, que gira em torno de R$5,00. Tudo isso se deve a descredibilidade da classe política, que tem causado indignação social, como revela e mostra a imprensa diariamente.

 

As milhares de revelações da pratica de corrupção de presidente da republica ao presidente de câmara de vereadores em uma cidade de menos de dois mil eleitores. Atualmente 90% da classe política é considerada corrupta, seja ela ativa ou passivamente.

 

E apesar de parecer estranho a princípio, o eleitor é o principal culpado pela situação no qual hoje vive o país, que por várias vezes votou em candidatos em troca de favores, o que atribui a compra de voto.

 

Outra questão que as vezes é levada em consideração do eleitor são as propostas e promessas, no entanto é necessário um olhar mais crítico diante de tudo que é dito em cima de um palanque. Você já se questionou se é possível com a atual arrecadação cumprir o que se promete? E mais, qual seria a fonte pagadora para execução de tal obra? É mais comum do que se imagina candidatos picaretas, paraquedistas, aventureiros serem tidos como homens de bem. São tratados como salvadores da pátria, e isso têm acontecido com muita frequência, principalmente nas regiões Norte e Nordeste, em que, forasteiros munidos de má fé convencem com falsas promessas, mas não realizam os milagres e só piora a qualidade de vida das pessoas.

 

Comícios

Nestas eleições, segundo determinação da Legislação Eleitoral poucos comícios acontecerão, o que se tornará para o candidato um faca de dois gumes. O político que realizar este tipo de evento deve estar preparado para qualquer tipo de protesto, ou aceitação. Isso vai de vaias a aplausos. Isso será comum principalmente para aqueles que só aparecem a cada quatro anos. É o famoso político do período eleitoral. Para aqueles que estão no exercício do mandato terão principalmente que apresentar o trabalho realizado em cada região, pois uma nova arma bem mais potente e rápida que pode trazer prestígio ou não, são as redes sociais, e a internet.

 

Redes sociais

Com o advento e a propagação da internet, as redes sociais será uma ferramenta de trabalho que já é utilizada por muitos políticos ou pessoas com funções públicas. Em 2018, ela será ainda mais utilizada, uma vez que os smartphones também serão aliados neste trabalho. Para aqueles que fizeram um bom trabalho, os celulares e a internet contribuirá significativamente neste processo, no entanto os aproveitadores poderão se frustrar diante de suas perspectivas, pois a sociedade tem sido mais exigente, e não promoverá ou proporcionará o enriquecimento ilícito de paraquedistas.

 

Os detentores de mandato que não fizeram jus a função que lhes foi designada se preparem, pois as redes sociais será o seu principal problema, e por traz de cada computador ou celular que dissemina uma informação que terá peso e propagação, há um eleitor. A internet será impiedosa, destruidora de muitos sonhos nestas eleições mostrando o rabo de muitos picaretas, lobos travestidos de cordeiros só para pegar o voto.

 

Não esqueçam a palavra voluntária, um salarinho mínimo por dois meses para sair no sol quente pedindo voto. Vai ter muitos adversários comprando os tais “voluntários” para confessarem que estão recebendo via caixa dois para trabalhar. Vai ser um big-brother eleitoral em que cada chance é um flash, e cada flash uma prova. É importante lembrar ainda que em alguns casos, muitos eleitos não tomarão posse em detrimento de denúncias. Esta será a realidade das próximas eleições. Em que o Ministério Público e demais instituições fiscalizadoras serão atuantes e rígidas no cumprimento da lei.

 

Ministério Público será impiedoso com os contraventores em 2018

Acredito e confio na seriedade do Ministério Público de se pronunciar na hora certa no parecer do registro de certas candidaturas antecipadas de quem não é o representante no Legislativo Estadual, Federal, nem governamental as provas são robustas. Fica uma pergunta.

 

Estamos vendo pré-candidatos viajando de frotas de avião, comboios de carros importados. De Norte a Sul do Tocantins, em plena campanha, dando entrevistas, fazendo promessas. A imprensa tem divulgando.

 

Membros dos Ministérios Públicos Federal e Estadual estão atentos a tudo isso, e não acreditem que eles são coniventes, solidários ou omissos as irregularidades, tudo indica que no momento certo, se pronunciarão. Bem na hora dos registros da candidatura de quem praticou o crime eleitoral, com campanhas políticas antecipadas.

 

Quem está pagando a conta! Estamos de olho.