GOVERNO CARLESSE DEMITE EM MASSA COM APOIO DE DEPUTADOS E SANGRA FAMÍLIAS, CARREIRAS E SONHOS

Postado em Quinta, 26 Abril 2018 13:10
Avalie este item
(0 votos)

Ato de demissão em massa traz pânico a milhares de tocantinenses que, da noite para o dia, ficaram sem sustento, sem chão e sem dinheiro

 

Por Edson Rodrigues

 

Com o apoio da maioria dos deputados estaduais, os mesmos que foram eleitos como “representantes do povo tocantinense” O governador em exercício, Mauro Carlesse exonerou milhares de servidores públicos estaduais contratados.

 

A desculpa foi a adequação á Lei de Responsabilidade Fiscal, mas o que se viu no Diário Oficial foi quase que uma troca.  Demitirem-se milhares, contrataram-se outros tantos.

 

Qual a diferença entre os que saem e os que entram? O grupo político ao qual pertencem.

 

Enquanto isso acontece, levando milhares de famílias tocantinenses ao pânico total da impotência, os deputados estaduais que deveriam protegê-las de atitudes assim, fazem cara de paisagem, como se nada fosse da conta deles.

 

Claro que é.  Inclusive os indicados que estão sendo contratados, assim como, também eram os que foram exonerados, e que deveriam ser protegidos.

 

Enfim, desmascaram-se intenções e revelam-se caráter e princípios dos deputados estaduais.

 

TRABALHO CONJUNTO

Tudo o que vem acontecendo no Tocantins e com o povo tocantinense, só demonstra que Marcelo Miranda vinha fazendo verdadeiros milagres para conduzir o estado, equilibrando a falta de recursos com a preocupação com o povo, mantendo a folha salarial em dia e tratando a todos com seu jeito humilde e carismático como os cidadãos de bem, que são.

 

Enquanto isso, numa espécie de “trabalho conjunto”, os deputados oposicionistas se aproveitavam da instabilidade econômica do País para  emperrar empréstimos, evitar financiamentos e trancar pautas que tratavam de recursos para saúde, educação e segurança pública, apostando no “quanto pior, melhor”, esquecendo que, ao atrapalhar o governo, influenciavam, de maneira negativa, na vida dos cidadãos.

 

Enquanto estados mais tradicionais e financeiramente potentes atrasavam folhas de pagamento, parcelavam salários e paralisavam investimentos, o Tocantins atravessava a tempestade sofrendo com as artimanhas dos oposicionistas,mas cuidando do povo de forma decente e solidária.

Bancada federal do Tocantins e o presidente Michel Temer

Marcelo Miranda, boa parte da sua equipe e a maioria da bancada federal, sob o comando do senador Vicentinho Alves, “botaram a cara a tapa” para articular um fio condutor, um pacto de governabilidade, que foi capaz de fazer com galhardia a travessia de um período de instabilidade política, institucional e econômica sem igual, asseverado pela recessão mundial, o impeachment da presidente do Brasil, a cassação do presidente da Câmara Federal e o mar de corrupção que desmotivou muitos governantes.

 

Graças a esse pacto, fruto de muito empenho pessoal, não faltou pão nem leite na mesa do funcionalismo público tocantinense, não houve atraso na folha salarial, hospitais foram reformados, o HGP foi equipado, perdeu as lonas da humilhação e recebeu mais leitos, assim como as unidades de Araguaína e Porto nacional.  Ambulância foram distribuídas aos municípios sem que a cor partidária fizesse diferença. A segurança pública ganhou novas viaturas, recebeu equipamentos dignos e concursados foram convocados para recuperar a sensação de segurança da população. Rodovias foram recuperadas e a agropecuária recebeu incentivos, enfim.  Havia dignidade para os cidadãos tocantinenses.

 

ONDE ESTÃO OS SINDICATOS?

Outra mudança de postura que chama a atenção nesses primeiros dias da curta “era Carlesse” vem da parte dos sindicatos, tão combativos e “atentos” às questões dos servidores públicos estaduais, ainda não deram um pio em relação à demissão em massa, deixando claro que, importante, para eles, são apenas os concursados e que os contratados servem apenas para “engrossar a massa de manobra” na hora de protestar contra o governo.

 

Sindicato protocolando pedido de cassação de Marcelo Miranda

Assim como a maioria dos deputados estaduais, os sindicatos “enfiaram a cabeça no buraco” e se omitem ante á morte lenta dos postos de trabalho que garantiam o sustento de milhares de pessoas.

 

Os mesmos que antes enchiam as galerias da Assembleia Legislativa para pedir o impeachment de Marcelo Miranda, agora se calam ante uma ato ofensivo exatamente á categoria que defendem.

 

Omissos ou coniventes?  Isso só a história vai dizer;

 

REFLEXÃO

O momento é perfeito para que o eleitorado tocantinense observe com atenção, olhe bem na cara dos deputados estaduais, federais e dos senadores e analisem o que eles têm feito em benefício da população, dos servidores demitidos e da manutenção das chances de a economia do Tocantins conseguir se manter.

 

A mudança está em suas mentes e mãos, eleitores.

 

Votar em quem apoiou essa ação de descaso com milhares de famílias, de deputados estaduais á federais e senadores, passando pelos candidatos de primeira viagem que fazem parte dos partidos desses que aí estão, é concordar com a maior covardia já feita na história do Tocantins.

 

Se você, seu filho, seu pai, seu esposo, sua esposa, algum familiar, está sofrendo por causa das demissões comandadas por pessoas sem coração, em outubro você terá a chance de dar o troco da forma mais abençoada, sutil e assertiva:  com o seu voto!

A decisão é sua.  Boa sorte!

 

CORRIGINDO INJUSTIÇAS: AINDA HÁ ESPERANÇAS

Apesar dos pesares, uma ponta de esperança surgiu, na manhã desta quinta-feira, durante uma conversa reservada com um ex-secretário de governo, que nos garantiu que o governador em exercício está agindo com boas intenções.

Segundo esse ex-secretário, o decreto das demissões em massa acabou atingindo pessoas inocentes, trabalhadora, que compareciam aos seus postos de trabalho e, efetivamente, exerciam suas funções.  Foi, como diz o ditado, “os justos pagando pelos pecadores”.

 

Ainda incrédulo, pedi provas do que foi afirmado e o que ouvi serve tanto para enriquecer este editorial quanto para não cometer injustiças.

 

Um deputado tinha, até terça-feira, uma ex-esposa “mamando” mais de sete mil reais mensais nas tetas do governo, sem sequer comparecer ao local de trabalho.  Um outro deputado, que não era da base de Marcelo Miranda, tinha sobrinhos, irmãos e cunhadas, cada uma recebendo salários acima de cinco mil reais, também sem aparecer para trabalhar.

 

De acordo com a nossa fonte, as injustiças com os servidores contratados que trabalhavam da forma devida, serão corrigidas de acordo com as necessidades de cada órgão. Ele prosseguiu afirmando que Mauro Carlesse está sofrendo pressões de deputados pro contratações, mas que irá resistir e que sua intenção é, em breve, mostrar à sociedade os resultados em termos de economia aos cofres públicos e adequação à Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Enfermeiros, fiscais e outros servidores honestos serão reconduzidos aos seus cargos, em detrimento das centenas de casos de “fantasmas” com altos salários, que serão defenestrados dos quadros dos servidores.

ESTAMOS DE OLHO!

Última modificação em Domingo, 29 Abril 2018 08:48