RETA FINAL: A HORA DA DECISÃO E DA BUSCA PELO VOTO

Postado em Segunda, 21 Maio 2018 05:16
Avalie este item
(0 votos)

Disputa voto a voto por vaga no segundo turno coloca os dois candidatos que têm base eleitoral em Gurupi frente a frente

 

Por Edson Rodrigues

 

A disputa por apoio na reta final da campanha para a eleição complementar se intensifica a cada dia, principalmente entre a senadora Kátia Abreu e o governador Mauro Carlesse, que aparecem “colados” nas pesquisas e buscam uma vaga em um possível segundo turno, muito provavelmente contra o senador Vicentinho Alves, que lidera todos os cenários apresentados.

 

Carlesse iniciou uma ofensiva sobre o patrimônio político da senadora, cooptando três prefeitos da região do Bico do Papagaio e vários vereadores, ex-prefeitos e lideranças, em sua maioria do PSD, partido que tem como presidente o próprio filho de Kátia Abreu, o deputado federal Irajá Abreu.

 

A partir desta semana, Carlesse deve intensificar o trabalho de convencimento sobre os apoiadores da senadora em Palmas e Porto Nacional, onde tem como ás na manga a adesão de um grão-mestre que vinha apoiando a senadora para o governo.

 

Sua assessoria de marketing eleitoral e político organizou uma grande agenda a ser cumprida por Carlesse e seus apoiadores com “adesivaços”, caminhadas, carreatas, reuniões e ações governamentais, servindo como ponto de partida para viagens em todo o Estado, com o anúncio de adesões importantes vindas de diversos redutos da senadora, nos próximos dias.

 

Segundo notícias vindas dos bastidores da campanha de Carlesse, a ordem é esvaziar o máximo possível os redutos eleitorais de Kátia Abreu em Palmas e nos 18 maiores municípios do Estado, onde essas lideranças já estariam devidamente comunicadas e monitoradas.

 

CONTAS POR UMA VAGA

Pelo que apuramos, os apoiadores de Carlesse têm a consciência de que, matematicamente, uma das vagas no segundo turno já tem nome e sobrenome: Vicente Alves de Oliveira. Logo, a ordem foi cercar e fazer um grande trabalho de convencimento nos territórios dominados pela senadora Kátia Abreu, com quem a disputa pela segunda vaga será muito acirrada, praticamente voto a voto.

Essa conclusão veio depois que ficou claro que os eleitores de Carlos Amastha, quer teve o seu registro de candidatura negado pelo TRE, estão, ainda, confusos em relação ao seu futuro político, tanto que alguns, principalmente os baseados em Palmas,  decidiram votar em Amastha, mesmo ele estando com o registro negado.

 

A maioria dos demais eleitores de Amastha, espalhados pelo interior do Estado, deve migrar para outros candidatos, transformando a candidatura do ex-prefeito da Capital num grande fracasso, uma vez que seu patrimônio político vem derretendo como gelo ao ar livre no Jalapão, sob o efeito dos 45 graus centígrados à sombra.

 

VICENTINHO SEGUE TRABALHANDO

Já Vicentinho Alves segue seus trabalhos em busca do apoio popular com uma agenda muito bem definida para a reta final, visitando de quatro a cinco municípios por dia, e vendo o resultado do seu bom trabalho estampado a cada mova pesquisa realizada, onde aparece sempre na liderança das intenções de voto.

 

A ordem para sua coordenação de marketing, agora, é redobrar os esforços para viabilizar uma vitória ainda no primeiro turno, descartando a necessidade de comparação direta de forças num hipotético segundo turno.

 

Boa parte dessa certeza vem com a entrada definitiva do PV e seus líderes, tanto em Palmas quanto o interior do Estado, acompanhada do apoio da deputada federal Dulce Miranda, a mais bem votada na Capital, que conta com o apoio de valorosos líderes comunitários. O apoio de Dulce vem acompanhado pelo do seu marido, o ex-governador Marcelo Miranda, que já está percorrendo diversos municípios do interior, por via terrestre, convencendo seus apoiadores da importância de eleger Vicentinho Alves, se possível já no primeiro turno.

 

CAMPANHA DE ALTO NÍVEL

Apesar dos trabalhos de convencimento sobre líderes de outros candidatos, a campanha eleitoral para a eleição suplementar vem sendo de alto nível, sem baixarias ou ataques pessoais.

 

Tranquilizados pela garantia de suas candidaturas pela Justiça Eleitoral, Vicentinho Alves, Mauro Carlesse, Kátia Abreu e Márlon Reis, têm mantido o respeito mútuo em suas peças publicitárias, apresentando planos e propostas de governo.

 

Mais que o devido respeito aos eleitores, isso mostra que todos estão conscientes de que em um possível segundo turno as composições entre as candidaturas serão uma necessidade, não só para a eleição complementar como para a eleição geral, em novembro, quando o vencedor da primeira terá sua campanha facilitada pela máquina administrativa e pelo Diário Oficial, podendo construir um patrimônio político muito forte para o embate de novembro nas urnas.

 

Agora, vamos aguardar os próximos lances e seguir acompanhando as movimentações no tabuleiro político.

 

Até breve!!

 

 

 

Vicentinho com pioneiros

 

Durante seus encontro em Porto Nacional um dos compromissos do candidato ao governo Vicentinho Alves (PR), foi com os pioneiros do Estado, onde além de lavar seus apoio ao senador, ficaram sabendo que emenda Constitucional de autoria do senador Vicentinho Alves que tramita no Congresso Nacional.

A emenda dá respaldo legal a atos administrativos praticados no Tocantins, realizados para viabilizar a instalação do estado. Todos esses atos estariam convalidados após cinco anos — contados da data em que foram praticados — se deles resultaram efeitos favoráveis para seus beneficiários. A regra só não valerá em caso de comprovada má-fé na sua edição.

 

Vicentinho já afirmou que o projeto reconhece e faz justiça aos pioneiros do estado. “Aos professores, médicos, guardas, enfim, todos os servidores que contribuíram para a construção do nosso estado. O Tocantins é o único estado da Federação que brotou do seio do Congresso Nacional. Começou do zero, diferentemente do Amapá e de Roraima, que já eram territórios — ressaltou.