Falsa notícia sobre o falecimento do ex-governador Siqueira Campos é mais que fake News é um ato desumano

Postado em Segunda, 03 Setembro 2018 11:05
Avalie este item
(0 votos)

Neste domingo, 2, nos deparamos nas redes sociais com a notícia do falecimento do ex-governador do Tocantins, José Wilson Siqueira Campos. O governador foi levado para São Paulo (SP), no sábado, 1º, em uma UTI aérea para dar continuidade a um tratamento gastrointestinal

 

Por Edson Rodrigues

 

 

Sem a confirmação da assessoria de Siqueira Campos sobre o fato, era comum nos grupos de WatsApp a notícia se espalhar como um incêndio em uma vegetação seca, de baixa umidade, muito comum no Tocantins. Talvez esta seja mesmo a melhor comparação quando nos referimos a uma sociedade que tem se mostrado cada vez menos humana, e cada vez mais robotizada. É notória a degradação familiar.

 

Por um momento questionei o porquê de tantas maldades e ódio a um ser humano. Um homem que independente de seus defeitos, foi um estadista, lutou pela criação do Tocantins, construiu Palmas, e merece o nosso respeito.

 

Hoje a família do ex-governador passa por períodos de preocupação, dor, cautela, e merece ser respeitada. São filhos, esposa, netos, amigos, noras, genros, e tantos outros que oram, buscam forças e auxílio profissional para que a vida deste homem seja preservada por Deus.

 

Siqueira Campos. Wilisses Guimrães, Darci Coelho e Brito Miranda. Constituição de 88

Siqueira Campos dedicou sua juventude para juntar-se a nós sonhadores com a criação do Tocantins. Foi um grande líder e depois de tantos embates, greve de fome, conseguiu criar Estado, Palmas, nos interligou com os estados vizinhos via rodovias pavimentadas, construiu o maior hospital público da região norte, o Hospital Geral de Palmas (HGP) que atende milhares de pessoas diariamente. Além de atender a população do Tocantins, também atende milhares de pacientes dos estados vizinhos como Pará, Maranhão, Goiás e Bahia.

 

O ex-governador, apesar dos cinco mandatos de deputado federal, um deles constituinte, quatro mandatos de governador, é um ser humano que não juntou fortunas, não possui tantas posses, fazendas, empresas. Vive de uma aposentadoria do Congresso Nacional da Câmara dos Deputados e depois de tantas e tantas lutas merece um tratamento de respeito pelo que fez, e muito mais por se tratar de um ser humano assim como todos os outros.

 

A divulgação do falecimento de Siqueira Campos partiu de uma pessoa covarde, disposta a difundir informações mentirosas, mas principalmente maldosa. A partir daí surge o problema, muitas pessoas acabam por difundir a notícia sem nenhuma reflexão, sem pensas nas consequências do ato.

 

Questionamento

Diante de um Estado, conhecidamente religioso, cabe o seguinte questionamento. Se fosse com alguém da sua família, como você receberia a informação? Ajudaria a divulgar uma informação falsa? Onde fica o espírito crítico e a religiosidade? Aquele famoso respeito pelo ser humano, você tem?

 

Esclarecimento

Em nota enviada a imprensa, a assessoria do governador esclareceu a situação: “O ex-governador Siqueira Campos segue internado em São Paulo onde se recupera de uma hemorragia intestinal ocorrida na última terça-feira, 28”.

 

“O ex-governador tem se recuperado bem e já há a expectativa de sair da UTI para um apartamento na próxima terça-feira, 4. Siqueira Campos não apresentou mais nenhum sangramento e a equipe médica descarta a hipótese de realizar uma cirurgia nesse quadro. O ex-governador já se alimenta normalmente, está lúcido e agradece todas as manifestações de apoio que tem recebido de todas as regiões do Tocantins”, concluiu a nota.

 

Orientação

Estudo realizado pela agência Advice Comunicação Corporativa, por meio do aplicativo BonusQuest, em novembro de 2017, indicou que 78% dos brasileiros se informam pelas redes sociais. Destes, 42% admitem já ter compartilhado notícias falsas e só 39% checam com frequência as notícias antes de difundi-las. A educação virtual é uma arma importante para detectar informações falsas no noticiário, segundo especialistas. Essa “alfabetização” deve contar com esforços de vários setores da sociedade. A dificuldade de identificar notícias falsas afeta até países com melhores índices de escolaridade. Uma pesquisa da Universidade de Stanford apontou, em julho deste ano, que estudantes americanos tiveram problema para checar a credibilidade das informações divulgadas na internet.

 

Fake News é crime?

O advogado Luis Francisco Prates, em seu artigo sobre Fake News destacou que no Brasil não há leis específicas para os infratores, mas isso não significa impunidade, pois o ato de produzir ou compartilhar notícias falsas é caracterizado como calúnia, injúria, difamação.

 

 

 

 

Última modificação em Segunda, 03 Setembro 2018 11:32