Luz amarela, de advertência, acende no QG de Carlesse

Postado em Quinta, 13 Setembro 2018 09:27
Avalie este item
(0 votos)

O clima do ‘já ganhou’ está contaminando o bom desempenho da campanha a reeleição do governador Mauro Carlesse, por parte de seus auxiliares e novos aliados

 

Por: Edson Rodrigues

 

Números de prefeitos, vereadores e deputados não significa garantias de votos. Foi justamente esta contaminação que levou o ex-governador Carlos Gaguim a perder por menos de 1%, as eleições de 2010.

 

Os resultados, aos quais O Paralelo 13 teve acesso nesta noite de quarta-feira (12) é um alerta aos auxiliares do governo de Mauro Carlesse para ‘baixarem a bola’ pois o jogo, literalmente jogado, começa hoje, quinta-feira (13). A oxigenação da base do seu mais forte adversário começou hoje.

 

Dessa forma qualquer resultado das eleições de 07 de outubro, previstos nas pesquisas, até agora publicadas, pode ser furado. O ‘jogo jogado’ começou nesta semana e ainda não deu para ser sentido e aferido nas últimas pesquisas.

 

Voltamos afirmar que nos próximos 24 dias ocorrerão grandes acontecimentos políticos de bastidores, cujas proporções e impactos levarão até deus duvidar.

 

Uma fonte nossa, com bom trânsito no palácio Araguaia, nos confirmou que outro Instituto de pesquisa detectou esta mudança também em Porto Nacional, Paraíso, Gurupi e Araguaína, sendo que em Araguaína, a mudança já mostrou um sangramento maior.

 

Araguaína

Não é novidade, muito menos invenção, a forma definitiva da chegada de Ronaldo Dimas na campanha de Mauro Carlesse à reeleição. Porém, não tem mostrado nenhuma vantagem, muito menos somatória. Sobretudo e principalmente depois que Dimas resolveu declarar, publicamente, seu apoio ao deputado federal Irajá Abreu, postulante ao cargo de senador e pertencente a outra ala, contra os interesses de Mauro Carlesse, inclusive no primeiro turno das eleições suplementar.

O nobre deputado é filho da ex-ministra e senadora Kátia Abreu, que por sinal pode ser vice-presidente da república, cargo que disputa ao lado do presidenciável Ciro Gomes, segundo colocado nas últimas pesquisas do Instituto Ibope, em parceria com a rede globo e folha de São Paulo, divulgadas ontem, quarta-feira (12).

 

Ao prefeito de Araguaína resta baixar a bola ou vai prejudicar a candidatura do seu filho a um mandato de deputado federal.

 

Até aqui o comportamento de Ronaldo Dimas só prejudicou o governador Mauro Carlesse que está vendo sua base se desentender na segunda maior cidade e segundo maior colégio eleitoral do estado: o estremecimento com a deputada Valderez Castelo Branco e o seu esposo deputado federal Lázaro Botelho, ambos candidatos a reeleição e com o deputado Cesar Halum abandonado no salão por Ronaldo Dimas, os três são lideranças consolidadas e respeitadas e todos com uma longa folha de serviços prestados ao povo, especialmente de Araguaína e região.

 

O prefeito de Araguaína corre um grande risco de sair menor do que entrou, principalmente se não conseguir eleger seu filho para o cargo de deputado federal.

 

Desentendimento na base atrapalha serviço de marketing

O desentendimento na base governista, idêntico ao criado por Dimas, em Araguaína, atrapalha, e muito, o serviço de marketing da política e contamina as outras candidaturas proporcionais.

 

É bom que os aliados do governador Mauro Carlesse, lembrem que ele (governador) está fazendo sua parte; cumprindo corretamente suas obrigações como chefe de estado e como candidato. Também não podem esquecer que Carlesse já chegou ao limite e não pode queimar ‘sua gordura’ com companheiros. Os adversários se aproximam para o combate e embate final.

 

Ou os "seus companheiros” parem de sangrar sua candidatura ou todos sofrerão anemia de votos.

 

Contaminação

As candidaturas proporcionais também sofrerão desgastes. Gente, digo candidato, que pensa estar sacramentado pode ter surpresas, estamos em uma eleição onde ninguém tem certeza de nada, pois só tem uma ‘regra mãe’: ‘ganhar’. E ganhar com dinheiro, muita grana; uma nota atrás da outra. Sem deixar provas ou rastros. Sem impressão digital e sem voz. Sem rastros ou provas que possam incriminar quem paga, tampouco quem recebe. Ou alguém tem dúvidas?

 

Pacto Siciliano

Resultado das urnas em 7 de outubro poderá enterrar muitos institutos de pesquisas, no Tocantins, para o resto da vida. Tanto os com sedes no estado como os nacionais.