Um grupo de vereadores de Porto Nacional está recebendo um certo “mensalinho eleitoral” para cooptar eleitores em favo de reeleição de deputado

Postado em Sexta, 21 Setembro 2018 06:45
Avalie este item
(0 votos)

A Operação Lava Jato, que reúne os mais expressivos representantes do Ministério Público, da Procuradoria Geral da República, da Policia Federal e do Judiciário brasileiro, no combate a corrução, na imposição de regras éticas na politica e, acima de tudo, apontando caminhos para um País que necessita urgentemente ser passado a limpo, alguns homens públicos, representantes do povo nos poderes constituídos, continuam agindo à margem da civilidade, da urbanidade, da moral e da respeitabilidade para com a sociedade e seus princípios fundamentais

 

Da Redação

 

É assim que está se portanto um grupo expressivo de vereadores de Porto Nacional, que buscando levar vantagens financeiras, estão usando e abusando do cargo que ocupam, por sinal bem remunerado - (R$ 10 mil mensal, por dois dias de trabalho na semana). Desde meados do ano passado, cada um deste seleto grupo de parlamentares municipais, recebe de um certo deputado estadual cerca de 5 mil reais por mês, intitulado (mensalinho eleitoral), para levar seu nome ao eleitorado portuense.

Eles negam sob tortura que a negociata está em curso, mas há evidências e alguns descontentes - (alijados da maracuitia), já “abriram o bico”. Contam que há uma verdadeira engenharia logística para os repasses dos valores, buscando com isso legitimar e deslamear o apoio que estão dando à reeleição do deputado estadual em questão, que é um dos mais ricos da política do Tocantins, segundo levantamento do TER – Tribunal Regional Eleitoral.

 

Bolsos cheios
Os edis portuenses, de sorrisos largos, bolsos cheios e malandragem na alma, andam com caros plotados, santinhos no peito e um discurso rasteiro, pedindo apoio para este tal deputado estadual, levando ao eleitorado local “a maravilha que é votar neste indicado.” Na verdade, na linguagem cifrada da política, o que estão fazendo é fechando o pacote para entregar os votos para a reeleição do parlamentar estadual em questão, sempre presente em santinhos, preguinhas e adesivos colados nos seus peitos. O eleitor, enganado sorrateiramente, ainda não sabe que seu voto já foi comercializado desde o ano passado, pagos mensalmente a peso de ouro.

 

Repudio nas urnas
Pela movimentação das lideranças em Porto Nacional, onde o processo eleitoral é acalorado, não é difícil perceber as articulações dos grupos políticos, suas intenções e apoios, o que neste caso especifico remete à negociata. Está mais do que claro que o pacote de voto já foi vendido por este grupo de vereadores e os pagamentos, o “mensalinho eleitoral”, vem sendo pago desde meados do ano passado. Certamente o eleitorado portuense não vai permitir esta falda de vergonha e ética na política, e vai reagir repudiando e ajudando a derrotar nas urnas o tal parlamentar estadual.


A nossa reportagem apurou que na mesma condição também trabalham alguns ex-vereadores, recebendo o tal “mensalinho eleitoral” no valor de R$ 2.5000. Além disso, todos os envolvidos indicarão assessores no gabinete do deputado, se reeleito. Como sabemos que o eleitor de Porto Nacional é politizado e certamente não se submeterá e esta maracutaia, este seleto grupo de edis corre um sério risco de não conseguir entregar o que prometeram, dada a rejeição que todos eles têm da sociedade portuense. Esta realidade já é mostrada nas pesquisas de intenção de voto no município, onde o tal deputado pontua nos últimos lugares.

Obs.
A nossa Assessoria Jurídica está nos calçando dentro das normas legais e do bom jornalismo, o que possivelmente nos permitirá na próxima edição revelar o nome do deputado, dos vereadores e dos ex-vereadores que estão ganhando dinheiro com a negociata de votos do povo portuense.