A DIFERENÇA ENTRE BOLSONARO E HADDAD: ENTENDENDO O FENÔMENO

Postado em Terça, 09 Outubro 2018 09:31
Avalie este item
(0 votos)

É lógico que grande parte dos eleitores de Bolsonaro não são fascistas. Tem muita gente boa votando nele. Conheço um monte. Logo, chamar os eleitores de Bolsonaro de fascistas é inútil. Uma parte deles sabe que não é. Uma outra nem sabe o que é fascismo

 

Por Luciano Moreira e Edson Rodrigues

 

 

Bolsonaro na verdade tem milhares de fascistas com ele, mas esta é apenas uma parcela pequena e perigosa de seu eleitorado. A grande maioria é formada por pessoas insatisfeitas com o sistema político, cansadas de tanta violência urbana e  decepcionada com os governos petistas e com as respostas esquerdistas para as causas da violência. Como Bolsonaro é o anti sistema, ele pode falar o que quiser, pois para seus eleitores isso apenas provaria que ele não é um político tradicional.

 

A Esquerda nunca teve soluções para os problemas urgentes da violência. Suas análises estruturais das causas da mesma irritam os não intelectualizados, que são a esmagadora maioria do povo brasileiro. A Direita brasileira pelo menos tem uma pretensa solução simplória para o problema: tiro, porrada e bomba.

 

Com seu preconceito contra tudo que vem da Direita, a Esquerda poderia ao menos ter estudado e usado as saídas do prefeito Juliani para diminuição do problema. Juliani, prefeito de Nova York, reduziu 80 % da violência na cidade sem usar do mesmo subterfúgio da Direita daqui. Ele apenas teve rigor máximo com criminosos pequenos, que, no futuro, segundo estudos, se tornariam criminosos cada vez piores. 

 

Bolsonaro também conseguiu convencer boa parte da população que não é corrupto, mesmo que a corrupção esteja no DNA da política brasileira. Bolsonaro praticou um monte de atos que podem ser definidos como corrutos, mas ainda assim passa a imagem de ser probo e diferente. Como era um deputado sempre bem votado pelas corporações militares, Bolsonaro não precisava de dinheiro para campanha, o que fez que passasse ao largo dos grandes esquemas de financiamento. Isso contribuiu em muito para sua imagem.   

 

O brasileiro também tem uma forte tendência sebastianista, característica que é nossa herança portuguesa. O que é isso ? É a crença de que todos os males serão sanados por um homem com amplos poderes. O Sebastianismo transfere para uma única pessoa, um governante carismático e poderoso, a saída para todos os males da sociedade. Assim, o indivíduo se exime da sua responsabilidade nesses males.

 

Bolsonaro, ao apresentar respostas fáceis para problemas complexos, chega com facilidade nas pessoas, o que os intelectuais de esquerda sempre tiverem grandes dificuldades para conseguir.

 

Enfim, Bolsonaro é fruto de uma série de ingredientes da sociedade brasileira, da conjuntura política atual e da crise de valores morais que estamos passando, em que as diferenças são tidas como perigosas e o avanço dos direitos das minorias são tidos como ameaças ao conjunto majoritário dos valores tradicionais da maioria dos brasileiros.  

 

Confira as principais diferenças de planos de governo entre os dois:

 

IMPOSTOS

- Bolsonaro: Redução da carga tributária e aumento da receita destinada aos municípios (pág 58)

- Lula/Haddad: Criar imposto sobre a exportação (pág 41), criar imposto sobre lucros e dividendos (pág 42) e aumentar o imposto territorial rural ITR para grandes propriedades (pág 56)

IMPRENSA

- Bolsonaro: contrariedade a qualquer regulação ou controle social de mídia (pág 7)

- Lula/Haddad: implantar mecanismos de regulação da imprensa e criar uma empresa pública de comunicação para expor o posicionamento do governo (pág 16)

LAVA JATO

- Bolsonaro: a justiça deverá seguir seu rumo sem interferências políticas (pág 15)

- Lula/Haddad: promover uma reforma do sistema de justiça para reduzir o poder de investigação do ministério público federal (pág 6, 15)

SEGURANÇA

- Bolsonaro: tolerância zero com o crime (pág 10) e redução da maioridade penal (pág 32)

- Lula/Haddad: desmilitarização das polícias (pág 31) e iluminação com led nas ruas (pág 54)

MINISTÉRIOS

- Bolsonaro: reduzir os 29 ministérios existentes atualmente (pág 17)

- Lula/Haddad: Criar 6 novos ministérios (pág 19, 20 e 55)

DITADURAS SOCIALISTAS

- Bolsonaro: deixar de louvar ditaduras assassinas socialistas  (pág 79)

- Lula/Haddad: desenvolvimento da infraestrutura de países do Mercosul (Venezuela) (pág 11)

AGRONEGÓCIO

- Bolsonaro: Segurança no campo, políticas para consolidar mercado interno, abrir novos mercados externos, melhoria da logística de distribuição (pág 69)

- Lula/Haddad: regulação do agronegócio para evitar ampliação de grandes latifundiários. Implantar reforma agrária e distribuir terras ao MST e indígenas (pág 56)

CONSTITUIÇÃO

- Bolsonaro: respeito e obediência à constituição (pág 6)

- Lula/Haddad: Estabelecer um novo processo constituinte para aumentar o poder do estado (pág 6)

PRESÍDIOS

- Bolsonaro: Prender e deixar na cadeia quem tiver cometido crimes (pág 30) e acabar com a progressão de pena e saída temporária (pág 32)

- Lula/Haddad: Reduzir a massa carcerária do Brasil através da liberação de presidiários (pág 33)

SINDICATOS

- Bolsonaro: o sindicato deve ser voluntário, contra a obrigatoriedade do imposto sindical (pág 64)

- Lula/Haddad: valorização de sindicatos e associações de trabalhadores (pág 40)

DROGAS

- Bolsonaro: Combate à ideologia de liberação irrestrita de drogas ilícitas (pág 26)

- Lula/Haddad: Promover a descriminalização das drogas (pág 32)

Fonte:

 

PLANO DO HADDAD=LULA: http://divulgacandcontas.tse.jus.br/candidaturas/oficial/2018/BR/BR/2022802018/280000629808//proposta_1536702143353.pdf

 

PLANO DO BOLSONARO:

http://divulgacandcontas.tse.jus.br/candidaturas/oficial/2018/BR/BR/2022802018/280000614517//proposta_1534284632231.pdf