Polícia Civil prende em Lagoa da Confusão primos foragidos da Comarca de Porto Nacional

Postado em Sexta, 12 Outubro 2018 18:42
Avalie este item
(0 votos)
Renato e Ricardo foram presos pela Polícia Civil em Lagoa da Confusão por tentativa de homicídio Renato e Ricardo foram presos pela Polícia Civil em Lagoa da Confusão por tentativa de homicídio

Por Rogério de Oliveira

 

Na noite desta quinta-feira (11), Policiais Civis da Delegacia de Lagoa da Confusão, comandados pelo delegado Hismael Tranqueira, efetuaram a prisão de Renato Pereira Neres, de 18 anos, e Ricardo Pereira Carvalho, vulgo “RD”, de 19 anos de idade.

 

Renato e Ricardo são primos e estavam foragidos da Comarca de Porto Nacional, suspeitos da prática de tentativa de homicídio e foram capturados, mediante cumprimentos a mandados de prisão, em Lagoa da Confusão.

 

De acordo com o delegado Hismael, os dois indivíduos estavam conduzindo uma motocicleta, em atitude suspeita, próximo a uma boca de fumo, em Lagoa da Confusão, quando foram abordados. Após contato com policiais de Porto Nacional, os agentes de Lagoa da Confusão descobriram que havia mandados de prisão preventiva, em aberto, em desfavor dos flagrados por tentativa de homicídio, fato ocorrido na cidade de Porto Nacional, em fevereiro deste ano.

 

Ainda conforme o delgado Hismael, a vítima atacada pelos primos ficou tetraplégica, em razão das lesões provocadas pelos tiros que recebeu dos dois autores, que fugiram em seguida.

 

Em razão disso, a autoridade policial responsável pelo caso representou pela prisão dos dois suspeitos, que foi acatada pelo juízo e possibilitaram seu cumprimento nesta quinta-feira, com apoio de policiais militares.

 

Vale ressalta que, no momento da prisão, os dois suspeitos se encontravam de posse de R$ 1 mil reais, em espécie, sendo que o dinheiro foi apreendido, pois existe a suspeita de que a quantia possa ser de origem ilícita.

 

Após as providências legais cabíveis, Renato e Ricardo foram encaminhados à Cadeia Pública de Cristalândia, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

 

Os dois indivíduos devem ser transferidos, em breve, para Porto Nacional, a fim de que possam ser responsabilizados penalmente pela conduta delituosa.