RECADASTRAMENTO DO FUNCIONALISMO É “PRESENTE DE NATAL” DO GOVERNO MAURO CARLESSE PARA A POPULAÇÃO DO TOCANTINS

Postado em Segunda, 17 Dezembro 2018 06:33
Avalie este item
(0 votos)

Por Edson Rodrigues

 

Já dizia o velho sábio, que “não se faz limonada sem limões”.  Pois, no Tocantins a limonada terá sabor de “ectoplasma”, a substância da qual, segundo os cientistas, são compostos os fantasmas e, os limões, serão as dezenas, talvez centenas, de pessoas que recebem salário sem nunca mover uma palha em benefício do Estado.

 

Os “limões” podem estar espalhados por diversos órgãos públicos e o recadastramento dirá, não só onde estão lotados, mas quem lhes dá frequência e quem os contratou, colocando em pratos limpos os desmandos ocorridos em governos anteriores ou, até mesmo, no próprio governo Carlesse, sem o conhecimento do Chefe do Executivo.

 

Já está definido que, após a identificação de contratado e contratador, a penalidade será a devolução do total dos proventos recebidos irregularmente, devidamente acrescidos de juros e correções.

 

CASO ANTIGO

A ação é um presente do governo Carlesse para a população Tocantinense, que deixará de pagar salários a quem não trabalha, assim como para o próprio governo, que terá mais fôlego para investir em infraerstrutura, evitando um desgaste para si próprio e provando que a prática dos empregos fantasmas vem desde os primórdios do Tocantins e descolando da imagem de Mauro Carlesse a responsabilidade pela presença desses “gafanhotos” na folha salarial.

 

O Paralelo 13 sabe e já denunciou em suas páginas casos antigos de funcionários fantasmas, inclusive no Escritório de Representação em Goiânia, mas nunca soube de ações governamentais para coibir a prática.

 

Logo, esse recadastramento que o governo Carlesse está implantando, é uma atitude acertadíssima, que pode, enfim, estancar de vez esse verdadeiro vazadouro de dinheiro público e o desrespeito com o patrimônio.

 

Ser funcionário fantasma, assim como contratá-los, constitui crimes de falsidade ideológica e improbidade administrativa, sem contar com os danos ao erário público.  Esperamos, então, que, após tudo apurado pela Polícia Civil, as denúncias devem ser apresentadas ao Ministério Público e os beneficiados e seus cúmplices investigados e, com a comprovação da culpa,  punidos exemplarmente.

 

Como já dissemos anteriormente, o recadastramento dos servidores públicos estaduais é a comprovação de que Mauro Carlesse quer dar um tom diferenciado ao seu governo, trazendo para si a assertividade da conduta e o descolamento de tudo o que foi feito de errado no passado.

 

Comprova, também, que a hora do palanque já acabou.  É hora de mais ação e menos fofoca, e de construir o futuro político do Tocantins, com uma equipe de assessores que sabe que não disputará nenhuma eleição, que não serão candidatos, logo, não precisam de “popularidade” ou evitar “rejeição”, mas, sim, fazer a máquina administrativa  funcionar da melhor maneira possível.

 

Um verdadeiro presente de Natal para todos os tocan