Posse do governador Mauro Carlesse com dose única busca enquadrar o estado dentro da Lei de Responsabilidade Fiscal

Postado em Terça, 01 Janeiro 2019 18:39
Avalie este item
(0 votos)

Com uma nova estrutura administrativa apresentada, o governador Mauro Carlesse inicia nesta terça-feira, 1° de janeiro, um novo modelo de gestão que promete resultados eficientes como redução dos gastos com a administração estadual e mais eficiência dos serviços prestados

 

Por: Edson Rodrigues

 

A meta do novo governo é reduzir cerca de R$ 500 milhões/ano com custeio de manutenção de pastas e folha de pagamento. Para obter esses resultados, a nova estrutura de governo apresentada nesta terça-feira, 1º de janeiro, conta com apenas 11 secretarias de Estado e a governadoria, além da criação das Agências de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Agetuc) e de Tecnologia da Informação (TI).

 

Segundo o governador Mauro Carlesse, estas medidas são essenciais para que o Estado se enquadre na Lei de Responsabilidade Fiscal, recupere sua capacidade de investimento e possibilite a realização de melhorias em áreas prioritárias como a saúde, educação, segurança pública, infraestrutura e aumente sua capacidade de desenvolvimento.

 

 

Nas gestões anteriores o executivo estadual possuía 23 secretarias. Pastas estratégicas, mas que não se enquadravam como a atividade principal do poder executivo, como a Casa Civil, Comunicação Social, Casa Militar, Secretaria Geral de Governo e Controladoria do Gasto Público, foram incorporadas à Governadoria. Todas seguirão com status de secretaria, no entanto, irão compartilhar o mesmo setor de recursos humanos, administrativo, financeiro e contábil, o que resultará em redução de gastos de custeio e também de pessoal.

 

A meta será eficiência e resultado o secretário de comunicação João Neto concedeu uma entrevista coletiva a imprensa tocantinense, onde respondeu a todas as perguntas dos profissionais de comunicação e deixou claro que as medidas, hora adotadas pelo governador Mauro Carlesse, tem a objetividade de tornar o Estado do Tocantins num estado ágio e eficiente, sobretudo no que se refere ao desenvolvimento de políticas voltadas para o crescimento e a geração de novos postos de trabalho. Para isso, a estrutura governamental precisa ser menor e eficiente, para melhor atender a sociedade.

 

A execução desta nova plataforma será feita paulatinamente, começando com o retorno do horário de expediente de trabalho, que será de oito horas, a partir desta quarta-feira, 2.

 

Municipalismo

 

Alegando uma melhor forma de administrar o Estado, o governo dividiu o estado em microrregiões, possibilitando melhor concentração de potenciais, por região, dentro de suas respectivas vocações, inclusive, concentrando na mesma cidade e em um mesmo imóvel diversos órgãos. A intenção é facilitar atendimentos e a execução de políticas de governo em uma mesma região, economizando com aluguel, pessoal e custo de manutenção.

 

Secom fortalecida a partir deste primeiro de janeiro de 2019

 

A secretaria de comunicação será a única porta-voz do governo. Qualquer dúvida ou informação terá que ser por meio da Secom. O governo que se inicia chega com uma nova política de comunicação, comandada pelo secretário João Neto.

 

Secretário João Neto

Todas as assessorias de comunicação das 11 secretarias terão a função de assessorar o secretário das respectivas pastas. Embora toda a comunicação institucional deva passar pelo crivo do secretário de comunicação, o qual assume a responsabilidade pela política de comunicação e marketing do governo que se inicia. Esta nova estrutura de governo busca a eficiência com resultados satisfatórios, que possam beneficiar os cidadãos e cidadãs tocantinenses.

 

Ficou bem esclarecido que o governador Mauro Carlesse não convocará a Assembleia Legislativa extraordinariamente para votar os projetos da nova estrutura governamental. Isso deverá ser editado medidas provisórias que entrarão em vigor assim que forem publicadas pelo Diário Oficial do Estado, sendo logo após encaminhadas ao poder legislativo para discussão e aprovação.

 

 

Conclusão

.

Não houve outra saída e a alternativa encontrada pelo governador Mauro Carlesse foi a de aplicar uma dose única com medidas saneadoras que possam reconduzir o estado aos trilhos  do desenvolvimento do crescimento com resultados, com eficiência. São medidas amargas sim, mas tudo caminha para uma colheita de ótimos resultados, os quais serão sentidos ainda este ano, na eficiência da saúde pública, da educação e da infraestrutura, com melhoramento das estradas estaduais e nas parcerias com os municípios em um governo municipalista.

 

A Semente foi plantada só depende de nossa união para colhermos bons frutos, voltando a desenvolver as potencialidades que possibilitem crescimento econômico e a geração de novos postos de trabalho. 

Última modificação em Quinta, 03 Janeiro 2019 19:56