Privatização da Ferrovia Norte Sul já tem data marcada

Postado em Sexta, 18 Janeiro 2019 05:32
Avalie este item
(0 votos)
 Com extensão de 4.155 quilômetros e cortando os estados de Pará, Maranhão, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, conectando os extremos do país Com extensão de 4.155 quilômetros e cortando os estados de Pará, Maranhão, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, conectando os extremos do país Valec

28 de março, essa é data confirmada pelo Ministro da Infraestrutura, setor rural de Goiás também quer pressa

 

Por Antonio Coelho de Carvalho

 

Cumprindo agenda em Rio Verde (GO), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas onde foi recebido pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado e várias autoridades o ministro novamente voltou a lembra da importância e da necessidade da privatização da Ferrovia.

 

Em seu pronunciamento como também, em sua página no Twitter ele disse: Aproveitamos para convidar o governador Ronaldo Caiado a ir conosco bater o martelo no leilão da Ferrovia Norte-Sul, 28 de Março, na B3.

 

O próprio presidente Jair Bolsonaro Retwitou a postagem do ministro: Trabalhamos para ampliar a deficitária malha ferroviária que emperra o desenvolvimento de nossa logística de produção. Pretendemos possibilitar linhas de interseção com outros transportes e desenvolvimento de rodovias, pontos tão necessários alinhados à evolução econômica do Brasil ..,escreveu ele.

 

Quando na cerimônia de transmissão de cargo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que a pasta dará continuidade ao processo de concessão de ativos da União para a iniciativa privada. Gomes de Freitas defendeu a necessidade de manutenção do modelo diante das “restrições fiscais” no país.

 

“É importante dar continuidade, continuar transferindo ativos para a iniciativa privada e para isso eu conto com a secretaria do PPI [ Programa de Parcerias de Investimentos], que tem sido fundamental para o atingimento desses objetivos”, disse ele na posse.

 

Gomes de Freitas apontou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Caixa Econômica Federal e a Empresa de Planejamento Logístico (EPL) como principais apoiadores na modelagem de projetos de privatização. Decreto publicado no Diário Oficial da União hoje transferiu a EPL para a nova pasta. Antes ela era ligada à Presidência da República

 

“Estamos criando um diretoria de estruturação de projetos [na EPL] que vai ter a responsabilidade de colocar na praça uma série de ativos e desenvolver bons projetos que sejam bancáveis e atrativos para a iniciativa privada”, afirmou.

 

De acordo com o ministro o primeiro “teste” da pasta de Infraestrutura será no mês de março. No dia 15, está prevista a realização dos leilões de concessões de 12 aeroportos da 5ª Rodada de licitação, divididos em três blocos: Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. Já no dia 28, deve ocorrer o leilão da Ferrovia Norte-Sul.

 

“O desafio já começa em março, quando temos o leilão da ferrovia Norte-Sul, a quinta rodada de aeroportos. É o primeiro teste do nosso modelo em blocos e assim que a gente tiver esse teste pelo mercado a gente deve retomar as concessões de aeroportos. A gente faz a quinta e já anuncia a sexta”, afirmou o ministro.

 

A arrecadação mínima com o leilão dos 12 terminais será de R$ 219 milhões. Esse valor deve ser pago à vista. Ao longo da concessão ainda devem ser pagos R$ 2,1 bilhões em outorga. Já para a Ferrovia Norte-Sul, o edital prevê uma outorga mínima de R$ 1,353 bilhão. Vence a disputa a empresa que pagar o maior valor.

 

Na parte rodoviária, o destaque ficou para a continuidade nos processo de concessão das rodovias: BR-364, BR-365, BR-101 e BR-470, BR-381, BR-162 e da BR-163.

 

Agronegócio

Durante seu discuro, Gomes de Freitas citou a nova ministra da Agricultura, Tereza Cristina presente na cerimônia, e disse que a pasta de Infraestrutura vai ser importante para o segmento do agronegócio. “A Infraestrutura que vai ser muito importante para o agronegocio da ministra Tereza e nós vamos trabalhar muito juntos, pode ter certeza, ministra”, disse.

 

Gomes de Freitas citou como exemplo a conclusão das obras da BR-163, no Pará, que leva parte da produção do Centro-Oeste para portos no estado. “O Dnit está se estruturando para a operação Safra, vai garantir o trânsito de comodities que saem de Mato Grosso rumo aos portos do arco norte”, afirmou.

 

O ministro também disse que pretende avançar nos processos de concessão das ferrovias de Integração Oeste-Leste (Fiol), no trehco de 537km de extensão entre Caetité e Ilhéus, na Bahia, e da Ferrogrão, 933 quilômetros que deve ligar Sinop (MT) ao porto fluvial de Miritituba (PA), no rio Tapajós.

 

Prioridades

Ainda em Rio Verde o ministro Tarcísio Gomes contou que o governador Ronaldo Caiado esteve em Brasília e entregou a ele um relatório sobre as condições das rodovias goianas, "o que despertou em nós a necessidade de trazer uma proposta para o plano de ataque do governador para a recuperação das rodovias federais que passam por Goiás, com concessões e os remanejamentos que estão sendo feitos nos ministérios para que o Governo Federal aja, imediatamente, "nos pontos mais críticos".

 

As principais reivindicações são: previsão para a efetivação da Ferrovia Norte-Sul, liberação de R$ 5 milhões já disponibilizados pela Sudeco para a construção do novo terminal de embarque do Aeroporto de Rio Verde; recuperação da BR-452 e duplicação; recuperação da BR-158; concessão da BR-060; Plataforma Multimodal em Rio Verde e melhorias da área urbana de Rio Verde.

 

 

Última modificação em Sexta, 18 Janeiro 2019 07:19