Após prisão de Assange, Wikileaks divulga contas de senadores brasileiros no exterior

Postado em Sexta, 12 Abril 2019 10:19
Avalie este item
(0 votos)

Os arquivos mostram ainda documento que comprovariam que o fundador da Apple, Steve Jobs, era HIV+. O empresário morreu, segundo fontes oficiais, de um câncer raro

 

Com Jornal Metro

 

Após a prisão do seu fundador Julian Assange, ontem (11), o Wikileaks divulgou uma série de documentos sigilosos. Entre os papéis, há informações de dois políticos brasileiros: a ex-governadora e ex-senadora Roseana Sarney e do senador Tasso Jereissati.

 

No caso de Roseana, há indicativo de US$ 150 milhões em offshores, que são contas bancárias abertas em países onde há menor tributação.

 

Outro político "contemplado" com um arquivo é o senador tucano Tasso Jereissati. Os documentos mostram gastos do parlamentar no exterior.

 

Os arquivos mostram ainda documentos que comprovariam que o fundador da Apple, Steve Jobs, era HIV+. O empresário morreu, segundo fontes oficiais, de um câncer raro. Todos os documentos estão neste link.