38ª Semana da Cultura começa dia 19 de junho

Postado em Terça, 11 Junho 2019 10:03
Avalie este item
(0 votos)

Vem aí o maior evento literário do Tocantins! Em sua segunda edição, a Feira Literária Portuense (FLIP) vai acontecer dentro da programação da 38ª Semana da Cultura de Porto Nacional, de 19 a 23 de junho, no Espaço Cultural Beira Rio, na orla da cidade. A Feira remonta a 281 anos de história, 158 anos de emancipação política de Porto, do Pontal ao Nacional.

 

Com Assessoria

 

A FLIP será consolidada como a maior feira literária do Centro-Norte do Brasil. Os eventos são uma promoção da Secretaria Municipal da Cultura e do Turismo com o apoio da Prefeitura Municipal.

 

Neste ano, a Semana terá quatro espaços recheados de eventos artísticos, culturais e literários que serão abertos a todos os portuenses e visitantes. Para deixar o evento ainda mais interativo estão previstos mais de 15 shows, 5 saraus, 8 exposições, 13 palestras, 12 manifestações culturais, 71 lançamentos de livros. Todos inclusos na vasta programação cultural.

 

Será um grande momento de confraternização das mais variadas expressões da cultura do Estado do Tocantins, reunindo 150 escritores de vários Estados do país, com o lançamento de 71 obras inéditas, a participação de 40 empreendedores e 32 estandes, consolidando a FLIP como a maior feira literária do Centro-Norte do Brasil.

 

Promovida pela Secretaria Municipal da Cultura e do Turismo com grande apoio da Prefeitura Municipal, a FLIP terá como Patrono Nacional, o escritor e intelectual portuense, Eli Brasiliense; e como Patrono Regional, o jornalista e escritor, Edvaldo Rodrigues.

 

No Café Literário será homenageada a poetisa Cora Coralina e no palco principal o músico portuense, Doca do Adordeon.

 

A apresentação da programação foi realizada pelo secretário Arnaldo Bahia e pelo coordenador da Cultura, Fábio Barbosa. Durante a cerimônia foram apresentadas a marca da Semana da Cultura, a programação completa com cada espaço detalhado, o conceito e os nomes dos escritores homenageados.

 

Caracterizando o ato cultural que vai contagiar o público durante cinco dias, o secretário da Secult convidou os presentes para fazerem a “batida do pilão”, uma performance simbólica à paçoca de carne seca feita na tradicional mão de pilão. Um verdadeiro patrimônio cultural e gastronômico nacional, presente em mesas de quase todas as regiões do Brasil.

 

No roteiro de atrações, os visitantes poderão desfrutar de encontros, bate-papos e rodas de conversas com escritores portuenses e regionais.

 

Nos estandes participarão livrarias, editoras, escolas e instituições. Uma excelente oportunidade de se culturalizar. A edição 2019 terá uma programação robusta com autores de todos os gêneros literários e de diferentes gerações, integrando a programação.

 

São mais de 140 escritores; membros das Academias de Letras do Estado, além de 60 autores de obras que são lançamento. Haverá venda de livros.

 

A FLIP, porém, não se resumirá a matar a fome de livros. Entre uma programação e outra, os visitantes terão à disposição uma praça de alimentação com comidas e bebidas.

 

Com Jornalista Umbelina Costa