A rusticidade do ambiente, aliada à alimentação natural e ao conforto dos equipamentos que oferece, são diferenciais do Ecoaraguaia Jungle Lodge, a primeira hospedagem de floresta do Tocantins.

 

 

Especial por Suzana Barros

 

 

Localizado na divisa do Tocantins com o Pará, a 270 quilômetros da Capital, Palmas, seguindo em direção a Caseara, o Ecoaraguaia Hotel Floresta localiza-se às margens do rio do Coco/Araguaia, vizinho ao Parque Estadual do Cantão.

 

Até o momento, oferece 10 cabanas projetadas de forma a manter experiências vivenciadas na floresta: totalmente forradas com telas, garantem proteção de insetos e, ao mesmo tempo, visibilidade do ambiente externo. 

 

Fogueira no píer do hotel

 

Além de banheiro interno, oferece chuveiro externo, anexado à cabana. A ideia é garantir a troca de energias com a natureza, mantendo, porém, a privacidade do hóspede.

 

A iluminação de toda a parte estruturada é planejada com luzes amarelas, de baixa intensidade. O objetivo é manter o ambiente mais natural possível.

 

Nas cabanas, por exemplo, a iluminação é na parte externa. Chega ao interior do ambiente na medida exata, porém sem dilatar muito a pupila. Dessa forma, o sono vem quase que automaticamente, proporcionando uma noite tranquila e aconchegante.

 

Não bastasse isso, o Ecoaraguaia mantém a prática de acender fogueiras: lá embaixo, no píer flutuante, e próximo ao refeitório. Além de esquentar o friozinho, incentivam a introspecção, a boa conversa e, melhor, o ouvir dos bichos noturnos, o contemplar das estrelas...

 

Culinária

 

A culinária oferecida pelo hotel é um caso à parte. Todo o cardápio é planejado, de forma a oferecer refeições naturais e saborosas, à base de frutas, verduras, peixes e carnes sem agrotóxicos. 

  

Entretenimento

 

As opções de entretenimento também são diferenciais: além do desfrutar de uma piscina flutuante, oferece um breve passeio em voadeira para se chegar a uma praia exclusiva para hóspedes, com sombra, cadeiras confortáveis e bebidas para refrescar.

 

Também é possível aproveitar o tempo em caminhadas, observação de pássaros e animais, passeios em caiaques, voadeiras, além de diversas opções de esportes de aventura e pesca esportiva.

 

Experiências

 

Vale destacar que o hotel oferece cinco experiências inovadoras, capazes de atrair diversos públicos: cura e bem-estar; sabedoria ancestral; negócios de impacto; pesquisa, ciência e inovação; e esporte e aventura.

 

Bem estar e sabedoria

 

 

Proprietários Raquel Acácio e Guilherme Tiezzi

 

 

“A experiência da Cura e Bem Estar, é proporcionada por meio de práticas a exemplo de danças, cantos, meditação, aliadas a uma alimentação natural e a medicina à base de ervas da floresta”, explica o proprietário Guilherme Tiezzi.

 

Outra experiência que o hotel oferece é denominada de “Sabedoria Ancestral”. Por meio dela, o hóspede se dispõe a uma reconexão com povos indígenas que habitam a região, de forma a conhecer e vivenciar experiências socioculturais e místicas.

 

Para empresários, a boa dica é optar pela experiência “Negócios de Impacto”, já que ela permite, segundo Guilherme, um novo olhar de como as empresas e organizações geram valor em harmonia com a natureza e sintonia com a comunidade local.

 

Pesquisa

 

A intensa sociobiodiversidade do ecótono do hotel é um campo fértil para pesquisa em diversas áreas de conhecimento. Dessa forma, é possível oferecer experiências de

Pesquisa e Inovação. Essa opção vem crescendo entre os hóspedes do Ecoaraguaia que tem recebido, com boa frequência, pesquisadores de instituições de todo o Brasil.

 

Esporte de Aventura

 

Indicada aos amantes da combinação esporte e natureza, em especial atividades de selva e rio, as atividades esportivas oferecidas pelo Ecoaraguaia vão desde trilhas botânicas e aquáticas, a corridas de tracking e bikes rides. Para os apreciadores da pesca, o espaço oferece uma pesca esportiva especial para famílias e casais.

 

Caravana do Turismo

 

Esta matéria resulta da oportunidade gerada pela Associação Brasileira de Turismo do Tocantins (Abrajet – TO), por meio da sua 36ª Caravana do Turismo.

 

De autoria da jornalista Suzana Barros, o projeto da Caravana tem o propósito de levar jornalistas para atrativos, evento culturais e/ou empreendimentos turísticos, a fim de divulgá-los.

 

Realizada nos dias 30/junho e 1º/julho, a Caravana oportunizou a experiência de hospedagem a oito jornalistas tocantinenses. A ação decorre de parceria entre a Abrajet e os proprietários do empreendimento, Raquel Acácio e Guilherme Tiezzi.

 

Serviços

 

Importante: toda hospedagem deve ser agendada com antecedência pelo tripadvisor.

 

Como chegar, valores pacotes, imagens e outras informações podem ser obtidas pelo instagram: @ecoaraguaiajunglelodge e pelo site https://ecoaraguaia.com.br/jungle-lodge/

 

Contratação da Caravana do Turismo: (63)99974-2116.

 

 

Posted On Sexta, 12 Julho 2024 11:24 Escrito por

Também é considerada a segunda maior praça urbana do mundo, com 571 mil metros quadrados totais

 

 

Por Samuel Leão

 

 

 

Apesar de poucos brasileiros terem conhecimento, a maior praça da América Latina fica no estado do Tocantins, situada no Centro-Norte da Capital. Chamada de Praça dos Girassóis, o local reúne diversos marcos da história local e atrai diversas práticas de lazer.

 

A exemplo da Praça Cívica, em Goiânia, nela também estão reunidas as sedes do governo – Executivo, Legislativo e Judiciário do Estado. Também é considerada a segunda maior praça urbana do mundo, com 571 mil metros quadrados totais.

 

 

O cartão postal da cidade é pontilhado por fontes, pequenas represas e monumentos, que remontam ao surgimento da cidade e a diversos outros acontecimentos. Dentre eles estão o Monumento de Súplica aos Pioneiros, à Bíblia e também o Museu Memorial da Coluna Prestes.

 

Umas das obras mais icônicas é o monumento aos Dezoito do Forte de Copacabana, que relembra a revolta de 1922 contra a República Velha no Rio de Janeiro, liderada pelo tenente Siqueira Campos e imortalizada pelas estátuas.

 

Outras estruturas dispostas no espaço são o Centro Geodésico do Brasil, que consiste em uma Rosa dos Ventos central que indica os pontos cardeais do país, além também de um mapa do Tocantins, de Frisas e do Brasão do Estado.

 

 

Na ala norte da praça, ainda há a chamada Praça Krahô, feita em homenagem aos povos indígenas dessa etnia, próxima à Catedral Metropolitana de Palmas, além da fonte luminosa – que dispara jatos de água de até 15 metros de altura.

 

Construída há cerca de 35 anos, a capital conta atualmente com mais de 300 mil habitantes e se tornou um dos principais polos do Norte do país. O espaço público central é constantemente visitado por adeptos de caminhadas, corridas e também por cidadãos que procuram as delícias culinárias oferecidas pelos quiosques que se encontram no local.

 

 

Posted On Quinta, 11 Julho 2024 06:18 Escrito por

Ex-cozinheira afirmou que trabalhava mais de 12 horas por dia com apenas 30 minutos de almoço

 

 

Com Site o dia

 

 

Gloria Pires foi condenada a indenizar sua ex-cozinheira, Denise de Oliveira, em mais de R$ 500 mil. A coluna Daniel Nascimento revelou com exclusividade que a mulher, havia pedido quase R$ 700 mil, alegando que trabalhava mais de 12 horas diárias com apenas 30 minutos de almoço. Além disso, ela relatou ter sofrido um acidente de trabalho, o que a levou a buscar justiça.

 

A coluna, que gosta de acompanhar os imbróglios até o fim, traz agora os desdobramentos finais desse processo, isso, caso Glória aceite a condenação.

 

Contratada em setembro de 2014, a última remuneração de Denise foi de R$ 5.780. Ela afirmou que trabalhava de segunda a quinta-feira das 9h às 22h30, preparando café da manhã, almoço e jantar. Nas sextas-feiras, sua jornada ia até às 17h. Denise destacou que, apesar do trabalho exaustivo, tinha um intervalo muito curto para suas refeições.

 

O acidente de trabalho ocorreu em 7 de fevereiro de 2020, quando uma gaveta do congelador caiu sobre seu braço esquerdo, causando contusões. Denise precisou se afastar pelo INSS até setembro de 2021 e, ao retornar, foi dispensada sem justa causa em dezembro. Seus advogados argumentaram que ela tinha direito a 12 meses de estabilidade devido ao acidente, o que, segundo ela, não foi respeitado. Porém, o juiz julgou como contraditório e improcedente esse pedido no processo, uma vez que, segundo ele, através das provas apresentadas, o acidente tenha ocorrido fora do horário de trabalho, sendo assim, ele considerou o Registrar Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) inválido.

 

O juiz também indeferiu o pedido de danos morais, uma vez que a ex-funcionária não tenha conseguido provar que Gloria Pires a tenha submetida a algum episódio vexatório ou humilhante. Sendo assim, o que foi peido e aceitou pela justiça foram as horas extras, adicional noturno, correção monetária, cota de previdência e imposto de renda e honorários advocatícios, dando assim um valor de R$ 559.877,36. Após o trânsito julgado, Glória tem prazo de 5 dias para pagamento. Porém, a artista ainda pode recorrer da decisão!

 

Vale destacar que, na audiência de conciliação em fevereiro, Gloria Pires ofereceu R$ 35 mil, oferta recusada por Denise, que preferiu seguir com o processo.

 

 

Posted On Quarta, 03 Julho 2024 13:53 Escrito por

Reunião entre Secult, Ageto e empresa licitada definiu prioridades e detalhou execução das obras de manutenção de importantes estruturas históricas do Tocantins

 

 

Por Ana Carolina Monteiro

 

 

O secretário da Cultura Tião Pinheiro e a secretária-executiva Valéria Kurovski, acompanhados da equipe técnica da Secult, reuniram-se com o superintendente de Obras Públicas da Agência de Transportes, Obras e Infraestrutura (Ageto), Max Guimarães, nesta quarta-feira, 12, para alinhamento de demandas referentes às obras de conservação de igrejas e museus do Estado do Tocantins. Na ocasião, foram levantadas as edificações prioritárias para que sejam feitos os devidos reparos, que serão executados pela empresa vencedora da licitação.

 

Entre as prioridades destacadas estão a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, no município de Monte do Carmo, a Igreja Nossa Senhora da Natividade, localizada no município de mesmo nome, e o Memorial Coluna Prestes, situado na Esplanada das Secretarias, na Praça dos Girassóis, em Palmas. De acordo com o contrato, assinado ainda no mês de junho e avaliado em R$ 4,3 milhões, as estruturas receberão serviços de engenharia para obras de reforma e manutenção com acompanhamento profissional especializado.

 

Secult, Ageto e a empresa licitada reuniram-se nesta quarta-feira, 12, para alinhamento de demandas referentes às obras de conservação de igrejas e museus do Estado do Tocantins - Foto: Kadu Souza/Governo do Tocantins

 

Durante o encontro, o titular da Secult ressaltou que a Secretaria da Cultura, em parceria com a Ageto e a empresa vencedora da licitação, está avançando no andamento do projeto e destacou a importância dessa ação para a preservação da memória arquitetônica do estado, reforçando a celeridade das obras. "Isso está de acordo com a orientação do nosso governador Wanderlei Barbosa, que pede, inclusive, agilidade nesse processo, para podermos concluir essa primeira etapa e prosseguirmos com as obras", disse.

 

Max Guimarães, superintendente de Obras Públicas da Ageto, ressaltou o processo de planejamento e contratação da empresa responsável pelas obras. “A Ageto está à disposição da Secretaria da Cultura, do Governo do Estado, para poder dar todo o subsídio para concluirmos e darmos uma situação mais confortável aos usuários dessas edificações”, disse.

 

Também participaram da reunião o gerente de Desenvolvimento da Cultura da Secult Luciano Pereira, a gerente de Acervos e Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural, Alline Alves Santos, a diretora de manutenção predial da Ageto, Ranu Lima e os representantes da empresa licitada, Diego Fernando e Aline Carlos Ribeiro.

 

Assinatura do contrato

 

Na primeira semana de junho, o Governo do Tocantins, por meio da Secretaria da Cultura, assinou o contrato com a empresa de engenharia licitada para a realização da manutenção preventiva e corretiva em igrejas e museus do Estado do Tocantins. O documento foi assinado pelo secretário da Cultura Tião Pinheiro e representantes da Agência de Transportes, Obras e Infraestrutura (Ageto) e da empresa vencedora da licitação. Ao todo, serão R$ 4,3 milhões destinados a essas ações.

 

 

Posted On Quinta, 13 Junho 2024 05:34 Escrito por

Objetivo é conservar espaços que mantêm a história, cultura e memória do Estado

 

 

Por Eduarda Formiga

 

 

Na manhã desta terça-feira, 4, o Governo do Tocantins, por intermédio da Secretaria da Cultura (Secult), assinou o contrato com a empresa de engenharia licitada para a realização da manutenção preventiva e corretiva em edifícios históricos do Estado. O documento foi assinado pelo secretário da Cultura Tião Pinheiro e representantes da Agência de Transportes, Obras e Infraestrutura (Ageto) e da empresa vencedora da licitação, Dian Variedades. Ao todo, serão R$4.387.500,00 destinados a essas ações.

 

O objetivo do contrato é proporcionar um acompanhamento especializado com conhecimento aplicado às práticas de manutenção e conservação das edificações de interesse cultural e histórico, de forma a executar reparos, adequações e adaptações, conforme as condições previstas no processo licitatório.

 

O secretário da Cultura Tião Pinheiro frisou a sensibilidade e orientação do governador Wanderlei Barbosa em priorizar demandas de conservação das edificações históricas do Estado: “Depois de duas licitações desertas, tivemos êxito na terceira tentativa e agora passamos à fase de execução das reformas e manutenções emergenciais de museus e igrejas que carecem desses serviços. Isso nos permite dar sequência à tarefa de construir políticas perenes para fortalecer a memória cultural tocantinense”

 

Como obras prioritárias estão a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, no município de Monte do Carmo; a Casa de Cultura de Paranã; o Museu dos Povos Indígenas da Ilha do Bananal; o Museu Histórico e Cultural de Arraias; o Memorial Coluna Prestes, em Palmas; a Paróquia Nossa Senhora da Natividade; as ruínas da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em Natividade; a Igreja de São José das Missões, em Dianópolis, e o Museu Histórico do Tocantins (Palacinho), em Palmas.

 

O documento foi assinado pelo secretário da Cultura Tião Pinheiro e representantes da Agência de Transportes, Obras e Infraestrutura (Ageto) e da empresa vencedora da licitação. - Kadu Souza /Governo do Tocantins

 

Para a superintendente de Fomento e Incentivo à Cultura, Kátia Maia Flores, a nova etapa reflete o cuidado com a história tocantinense. “Esses patrimônios do Estado, como igrejas e museus, já estão há bastante tempo aguardando por reparos dos desgastes que habitualmente acontecem nessas edificações. Foi feito um levantamento e houveram duas licitações, sendo que a primeira não teve êxito e agora nós conseguimos ter sucesso com uma empresa com mão de obra especializada que vai atuar nessas obras já elencadas”, disse. Após a assinatura, representantes da Secult ainda se encontrarão com as partes do processo licitatório para uma reunião técnica na qual serão definidas as prioridades de execução das obras.

 

Segundo a diretora de manutenção predial da Ageto, Ranu Lima, é uma atribuição da agência fazer a ponte entre a empresa licitada e a Secretaria da Cultura. “Nós damos todo o apoio técnico, desde a licitação até a parte de elaboração dos projetos, das planilhas orçamentárias, da fiscalização e da execução das obras”, explicou.

 

Representante da empresa licitada, Diego Fernando explicou que de início será necessário realizar o levantamento das obras, das emergências, para a confecção de planilhas técnicas que serão aprovadas pela Ageto. Após a aprovação, o projeto já poderá ser executado.

 

Com expertise na área do patrimônio histórico, a responsável técnica da empresa, a arquiteta Aline Carlos, observa a ligação da população tocantinense com esses lugares, que se transformam em espaços afetivos e de memória. “A gente vê que a população tem muito apego, então é necessário que seja um projeto muito transparente para garantir que as lembranças e memórias do povo sejam resguardadas”, comentou.

 

Para além da importância cultural e afetiva das edificações, que ajudam a contar parte da história do Tocantins, o coordenador do Escritório Estadual do Ministério da Cultura, Cícero Belém, aponta ainda o potencial econômico. “A Secretaria da Cultura vem sinalizando um olhar mais amplo, mais alargado, sobre o desenvolvimento da cultura no Tocantins. E o patrimônio é uma área estratégica e também econômica, porque promove a circulação de pessoas e abrigam eventos relevantes”, disse.

 

A superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Tocantins (Iphan), Cejane Pacini, parabenizou a Secult pela agilidade na resolução e assinatura do contrato. “Nós sabemos que o trabalho que o Estado realizará agora é importante e de maior dificuldade, por isso o Iphan está à disposição para orientar em questões técnicas e também na captação de outros meios de recursos”, ressaltou.

 

A verba licitatória para as obras de conservação das edificações históricas advém do Fundo Estadual de Cultura. O valor contratado ficou abaixo dos R$4,5 milhões originalmente aprovados pelo Conselho de Políticas Culturais do Tocantins (CPC-TO), totalizando R$4.387.500,00.

 

“Em reuniões, nós decidimos sobre o uso do recurso do Fundo de Cultura e a sociedade civil ansiava muito para que esse valor fosse utilizado para preservar a cultura do Estado”, disse Elpídio De Paula, conselheiro representante da Câmara Setorial de Artes Visuais do CPC-TO.

 

Ao comemorar a assinatura do contrato, o padre da Igreja de Nossa Senhora do Carmo, no município de Monte de Carmo, Wanderson Silva, reforçou a relevância do patrimônio histórico: “a nossa Igreja é monumento tombado pelo Estado do Tocantins e também foi tombada pelo Estado de Goiás, antes da separação”, comentou.

 

Presenças

 

Pela Secult, também estiveram presentes durante a assinatura do contrato, a secretária executiva Valéria Kurovski, a assessora institucional Aurielly Painkow, a diretora de Administração e Finanças, Carcilene de Souza Oliveira, e os gerentes Alline Alves, Sebastião Pereira Neto e Luciano Pereira.

 

Também participaram a superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Tocantins (Iphan), Cejane Pacini; o deputado estadual Cleiton Cardoso; a presidente da Associação Cultural do município de Natividade Simone Camelo; o prefeito e o presidente da Câmara Municipal do município de Monte do Carmo, Date Ribeiro e Jefferson Carvalho, respectivamente, o padre de Monte de Carmo Wanderson Silva, e o técnico de edificações Hernathan Rodrigues.

 

 

Posted On Quarta, 05 Junho 2024 14:27 Escrito por
Página 1 de 28