JUSTIÇA DARÁ EXEMPLO A QUEM SE ACHAVA ACIMA DA LEI. EDUARDO SIQUEIRA VOLTA À AL E EDUARDO GOMES SE DESDOBRA PARA BENEFICIAR ESTADO E MUNICÍPIOS

Posted On Segunda, 27 Janeiro 2020 07:08
Avalie este item
(0 votos)

O senador Eduardo Gomes tem sido incansável na busca por recursos para os 139 municípios tocantinenses. Para dar conta do desafio que impôs a si próprio, o líder do governo Jair Bolsonaro no Congresso Nacional esteve em Araguaína, onde despachou com 17 prefeitos da região do Bico do Papagaio, lideranças políticas da cidade e manteve encontro com seu amigo e irmão, Ronaldo Dimas, prefeito de Araguaína, candidato ao governo em 2022 e um dos oposicionistas ao governo de Mauro Carlesse, ocasião em que participou da assinatura de um contrato com a Caixa Econômica Federal, para a liberação de recursos de uma de suas emendas impositivas para a realização de obras de infraestrutura na cidade.

 

Por Edson Rodrigues

Após a visita à Araguaína, Eduardo Gomes esteve em Palmas, com a prefeita Cinthia Ribeiro, para a assinatura de mais um contrato com a Caixa, desta vez com a prefeitura da Capital, para a realização de obras no Distrito de Taquaruçu, também resultante de emenda impositiva de sua autoria.

Em seu escritório político, recebeu lideranças do MDB e de vários outros partidos e, em sua residência, ciceroneou dezenas de lideranças do interior, além de deputados estaduais.

Vale lembrar que na última quinta-feira (23), Eduardo Gomes estava em Gurupi, participando da solenidade de inauguração de uma creche municipal que recebeu o nome do saudoso senador João Ribeiro, conhecido como o “João das Creches”, que reuniu, além do prefeito Laurez Moreira, a deputada estadual Luana Ribeiro e a prefeita de Palmas Cinthia Ribeiro em um mesmo evento, onde as questões políticas foram postas de lado e a emoção dominou a mente de todos, num momento de rara comunhão e paz, e de muito simbolismo quanto à atuação do senador em benefício do Tocantins.

Eduardo Gomes consegue atuar em todas as frentes porque fala a linguagem da harmonia, do diálogo e do amplo entendimento, sabendo separar o joio do trigo, mostrando que ser adversário político não significa, obrigatoriamente, ser inimigo pessoal.
Eduardo Gomes convive com Ronaldo Dimas, com Cinthia Ribeiro, com Laurez Moreira, com Luana Ribeiro e com qualquer liderança política, com o mesmo espírito colaborativo, harmonioso e conciliador com que construiu sua carreira política e o fez o senador mais votado no Tocantins nas últimas eleições.

O senador se vale apenas do diálogo para fazer políticos e lideranças deixarem de lado as desavenças políticas e mostrar que seu trabalho junto ao governo do Estado e a cada um dos prefeitos e vereadores dos 139 municípios do Tocantins é movido pelo seu dever como representante político do Tocantins no Senado Federal, um patamar diferente das picuinhas locais que não podem ser levadas em conta na hora de pensar no todo, que é o povo do Tocantins.
Conhecido por sua grande habilidade e capacidade de aconselhamento, derrubando barreiras entre adversários políticos, foi justamente por isso que Eduardo Gomes foi convidado para ser o líder do governo de Jair Bolsonaro no Congresso nacional e vem galgando postos cada vez mais importantes para o País, como a relatoria setorial do orçamento do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Agindo com sabedoria e paciência, Eduardo Gomes sempre “joga água onde há fogo” e conseguiu amealhar amigos políticos em todas as frentes partidárias, sejam de oposição ou da situação, mas faz questão de não entrar na seara do embate, focando suas ações apenas em trazer recursos para prefeitos e governo do Estado, a fim de melhorara a vida do povo tocantinense.

A última novidade, é o agendamento de uma visita do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a convite de Eduardo Gomes, para lançar um projeto piloto de segurança pública
Quem vai apoiar nas eleições de outubro, só deixará saber na hora que lhe convier.

 

REVIRAVOLTA NA ASSEMBLEIA

O deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM) reassume seu cargo e seus trabalhos no próximo dia quatro de fevereiro na Assembleia Legislativa, deixando sem cargo e – sem o poder da palavra – o primeiro suplente, Gleydson Nato (PHS), que era o líder do governo Mauro Carlesse. O chefe de gabinete de Eduardo, Carlos Jr.,inclusive, já havia reassumido suas funções a cerca de uma semana.


Eduardo Siqueira Campos estava afastado por licença médica de 121 dias e seu retorno pegou o Palácio Araguaia de surpresa, uma vez que Gleydson Nato é o pré-candidato oficial do governo Carlesse à prefeitura de Gurupi e sua presença como deputado na AL era considerada de suma importância para as pretensões do governo do Estado.

Segundo os bastidores políticos, a reviravolta do retorno de Eduardo Siqueira Campos ao parlamento estadual teria sido motivada por atos do governo Carlesse que desagradaram em cheio sua forma de atuação e tratamento com o governo.

 

A CASA CAIU NO TOCANTINS COM MUITA GENTE DENTRO

O julgamento das acusações referentes aos processos da Operação Reis do Gado, desmembrados para dar celeridade no seu andamento, atinge em cheio o cerne do clã dos Miranda, do ex-governador Marcelo, passando por seu pai, Dr. Brito, chegando até o seu irmão, Jr. Miranda.

São acusações graves e de amplas provas, tratando de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, para ficarmos apenas nos “crimes de colarinho branco”. A Justiça tem em mãos provas advindas de delações, escutas telefônicas amparadas pela Lei, frutos de várias e várias diligências, que juntaram a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. Os julgamentos estão marcados para a segunda quinzena de abril e as sentenças prometem ser exemplares, verdadeiros petardos contra quem se vale da confiança do povo para alavancar seus interesses pessoais.


É incrível que a derrocada da família Miranda não tenha servido de exemplo para os que ainda insistem na prática da corrupção – como é sabido – nos dias de hoje.

O mês de fevereiro promete ser um marco na história política tocantinense.

 

TOCANTINS PASSADO A LIMPO

O fim das férias forenses é aguardado com ansiedade por todos, ávidos por saber como será o desfecho das investigações da Polícia Federal em território Tocantinense, principalmente com o advento do “homem bomba” do ramo gráfico que operou em vários governos anteriores.


Em conversa reservada com uma autoridade em Brasília, na última quinta-feira, me foi confidenciado que “a casa realmente caiu no Tocantins. Aqueles que subestimaram a capacidade das autoridades do Ministério Público Federal e da Polícia Federal, os políticos inescrupulosos que não tiveram compaixão com a população tocantinense, que lhes roubaram muito mais que dinheiro, roubaram saúde, educação e dignidade, não ficarão impunes”, afirmou.

E continuou, enfatizando que “graças a Deus ainda existem entidades e homens imbuídos de fazer prevalecer a Justiça e combater a corrupção”, referindo-se aos valorosos agentes do Ministério Público Federal e Estadual, da Polícia Federal e da Polícia Civil.
Essa conversa nos deixou com a sensação clara de que, em breve, os “lobos em pele de cordeiro” serão desmascarados e o povo, enfim, terá a certeza de quem são os falsos profetas, alguns deles, infelizmente, hoje, detentores de mandatos eletivos.
Outra certeza é a de que as autoridades estão agindo com todo o cuidado para evitar os erros que possam ser enquadrados na nova Lei do “abuso de autoridade” e que a ação resultará em uma grande – e necessária – varredura da vida pública de muitos canalhas inescrupulosos, agentes públicos que praticaram verdadeiros absurdos com recursos da Saúde, da educação e de outras instituições públicas do Estado.

Fevereiro será um mês de muitas revelações em que muitos terão suas pretensões públicas e políticas ceifadas pela Justiça, dentre eles, um candidato à prefeitura de Palmas.

Essas informações nos foram repassadas sob o véu do anonimato, mas acreditamos 100% em sua credibilidade e que, desta vez, não haverá forças ocultas para refrear esse processo que os homens da justiça, ungidos por Deus, estão procedendo para dizimar a corrupção que tanto prejudicou os tocantinenses, pois, se confirmados os nomes, a rede terá que ser de malha grossa e reforçada, pois vai ter muito “peixe grande” enroscado.

 

 

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-502.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias