Por Wherbert Araújo

 

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais - DEIC, Núcleo de Paraíso do Tocantins, realizou nesta segunda-feira,15, a “Operação Intramuros”. O objetivo foi cumprir mandados de prisão e busca e apreensão contra mais de 70 membros do crime organizado em Palmas e outras 13 cidades do Tocantins, além dos estados de Goiás, Pará e Piauí. Grande parte dos alvos já cumpriam penas por outros crimes nos principais estabelecimentos prisionais do Estado.

 

Para a Polícia Civil, esta é a maior operação de combate ao crime organizado no estado, exigindo seis meses de complexo trabalho investigativo. Até o momento, 60 pessoas foram presas e apreendidos 1,5 kg de crack, 1 kg de maconha, além de duas armas de fogo. A operação contou com cerca de 300 policiais civis do Estado por meio das delegacias Especializada na Repressão a Narcóticos – DENARC, da unidade do Ciopaer, do Grupo de Operações Táticas Especiais – GOTE, entre outras unidades da Polícia Civil e agentes do Sistema Prisional do Tocantins.

 

Segundo o delegado Eduardo de Menezes, responsável pela operação, as investigações iniciaram em outubro de 2018, após uma tentativa de homicídio no pavilhão B da Casa de Prisão Provisória de Paraíso. "Aprofundamos as investigações a partir da ação realizada pelos técnicos em defesa social da unidade prisional, para impedir a execução de preso, membro de facção de renome nacional, segregado em um das celas do referido pavilhão. A coleta de informações realizada pela Polícia Civil para esclarecer as causas do atentado contra vida do preso, culminou na construção de rico acervo probatório, o qual delineia com exatidão toda dinâmica criminosa da facção, em especial a engrenagem montada por seus membros para o alcance de sucesso na consumação de homicídios, roubos, entre outros crimes praticados em caráter secundário, com o objetivo de garantir a execução de sua principal atividade, qual seja o tráfico de drogas", ressaltou.

 

Homicídios

Em entrevista coletiva no final da manhã desta segunda, 15, o delegado esclareceu a população sobre os reflexos da "luta" entre facções nas taxas de homicídios em geral: "Essa rivalidade se estendeu para as ruas e hoje é, sem dúvida, a principal causa dos homicídios ocorridos no estado (e no país)". E acrescentou: "A morte de um criminoso rival é o mais 'importante' ato em favor da facção, reverte ao integrante na figura de uma espécie de pontuação, utilizada posteriormente para ascender na hierarquia da organização".

 

Durante o período de investigações, o Núcleo de Paraíso da DEIC conseguiu ainda esclarecer três homicídios, um ocorrido em Paraíso do Tocantins, e outros dois em Palmas, ambos no mês de setembro do ano passado.

 

"Gerais"

De acordo com a DEIC de Paraíso, chamou atenção, durante o período de investigação, o estágio avançado de organização que o grupo criminoso alcançou desde sua fundação, ainda na década de 90. Prova disso é sua estruturação em diversos cargos com funções específicas. As principais lideranças atuantes no Tocantins, os chamados “Gerais”, foram presos na operação desta segunda-feira,15. Cita-se, dentre as figuras de maior envergadura, a prisão do “Geral” do Estado, o “Geral” do Interior, o “Geral” de Palmas, o “Geral da Zona Norte de Palmas, o “Geral” de Araguaína, o Geral de Paraíso, o “Geral” de Lagoa da Confusão, “Geral” de Porto Nacional, “Geral” de Colinas, entre outras.

 

Contas

As investigações identificaram também que parentes dos faccionados realizaram aberturas de acessos bancários onde os valores das comercializações seriam depositados naquelas contas. Quatro contas bancárias utilizadas para movimentar o dinheiro oriundo do tráfico de drogas foram bloqueadas.

 

Cidades

No Tocantins, os criminosos foram presos nas cidades de Paraíso do Tocantins, Palmas, Barrolândia, Lagoa da Confusão, Marianópolis, Chapada de Areia, Cariri, Porto Nacional, Araguaína, Colinas, Guaraí, Tupirama. No estado de Goiás, ooperacinvestigados foram presos em aparecida de Goiânia. No Piauí, foram presos na cidade de Marcolândia e no Pará, em Paraupebas.

 

A operação Intramuros continua em andamento e informações adicionais serão repassadas em momento oportuno.

Postado em Terça, 16 Abril 2019 06:39 Escrito por

Polícia Civil elucida crime de furto e recaptura foragido da Justiça em outra ação,  suspeito de integrar organização criminosa de tráfico de drogas é preso pela Polícia Civil em Paraíso do Tocantins

 

Por Rogério de Oliveira

 

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), Núcleo de Paraíso do Tocantins, efetuou, na manhã desta quinta-feira (7), naquele município, a prisão de Dagmar Xavier Farias, de 43 anos. 

 

Dagmar estava foragido, desde 19 de setembro de 2018, quando rompeu a tornozeleira eletrônica que utilizava para cumprimento da pena, em regime domiciliar, pela prática do crime de estelionato.

 

Conforme o delegado Eduardo de Meneses, titular da DEIC - Paraíso, policiais civis daquela delegacia especializada realizavam investigações de rotina, nas proximidades do setor Vila Regina, quando se depararam com o acusado em posse de uma carretinha que havia sido furtada, em Paraíso do Tocantins, nessa terça-feira, 5.

 

De imediato, os investigadores abordaram o indivíduo e o conduziram até a delegacia, onde uma equipe de policiais civis da 3ª DPC o identificou como sendo um dos homens que haviam furtado o bem. Desse modo, a autoridade policial ouviu Dagmar, bem como outro comparsa, que, em tese, seria o co-autor do crime.

 

Ambos confessaram o ilícito e serão indiciados por furto, sendo que o veículo que utilizaram para praticar o crime também fora apreendido. A carretinha foi periciada e restituída ao seu legítimo proprietário.

 

Em meios aos procedimentos legais, os policiais civis efetuaram levantamento sobre a vida pregressa de Dagmar e constataram que havia um mandado de recaptura em seu nome, proveniente da Comarca de Gurupi, pela prática do crime de estelionato e também pelo fato de Dagmar ter rompido o equipamento eletrônico que usava.

 

Dessa maneira, a ordem judicial foi cumprida e o indivíduo foi recolhido à carceragem da Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

 

Ainda segundo o delegado Eduardo de Meneses, Dagmar Xavier é um criminoso contumaz e é investigado em pelo menos 15 inquéritos policiais que tramitam em várias delegacias de Paraíso. “Dagmar já possui condenações penais e é acusado de envolvimento em uma série de outros crimes patrimoniais, tais como roubo, furto e estelionato, em Paraíso e em outros municípios do estado e sua prisão traz um pouco mais de paz e tranquilidade à população da cidade”, ressaltou.

 

Suspeito de integrar organização criminosa de tráfico de drogas é preso pela Polícia Civil em Paraíso do Tocantins

 

Encontra-se recolhido à carceragem da Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins, Marco Antônio Negri, de 39 anos. Ele é suspeito de liderar uma organização criminosa que atuava na venda de drogas naquele município e foi capturado, no início da tarde desta quinta-feira (7), por policiais civis da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), Núcleo de Paraíso do Tocantins.

 

A ação da Polícia Civil se deu em um restaurante localizado no Setor Pouso Alegre e foi coordenada pelo delegado Eduardo de Meneses, que deu cumprimento a mandado de prisão da Justiça Federal em nome de Marco Antônio.

 

De acordo com o delegado, no mês de fevereiro, a Polícia Federal deflagrou a Operação ‘SINGER’, visando a desarticular uma organização criminosa responsável pela venda de drogas em Paraíso do Tocantins, liderada por um cantor Sertanejo da cidade. Naquela fase da operação, o suspeito não foi encontrado, passando, desde então, a ostentar a condição de foragido da Justiça.

 

“Desde a época da deflagração da operação Singer, vínhamos trocando informações e mantendo cooperação técnica com a Polícia Federal, a fim de localizar o seu paradeiro e efetuar a prisão. E nessa quinta-feira, após investigações e buscas, obtivemos êxito em capturar o indivíduo no momento em que ele almoçava em um restaurante na cidade”, pontuou Eduardo de Meneses.

 

Após as providências legais cabíveis, Marco Antônio permanecerá na CPP de Paraíso do Tocantins, à disposição da Justiça Federal do Estado do Tocantins.

 

Postado em Sexta, 08 Março 2019 04:58 Escrito por

Forças de Segurança desmontam laboratório de refinamento de cocaína em Porto Nacional

 

Por Wherbert Araújo

 

Policiais civis da Delegacia Especializada na Repressão a Narcóticos – DENARC, policiais militares da Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas – ROTAM, e membros do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado – GAECO do Ministério Público Estadual, desmontaram na manhã desta sexta-feira, 01, em Porto Nacional, na região Central do estado, um laboratório de produção de substância análoga à cocaína. No local, foram encontrados equipamentos industriais, aditivos e insumos químicos para a produção da droga, uma máquina de prensagem, além de uma grande quantidade do entorpecente.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito Hugo Oliveira da Cruz, 23, possuía passagem pela polícia por tráfico, é suspeito de envolvimentos em homicídios, furto de motocicletas e assaltos na Capital. Além disso, ele atuava como laboratorista na produção de cocaína e estaria ligado a uma facção criminosa de reconhecimento nacional.

 

Após evadir-se do local e entrar em confronto com os policiais, o suspeito foi alvejado, sendo encaminhado ao Hospital Regional de Porto Nacional, mas não resistiu aos ferimentos e veio a falecer poucos minutos depois.

 

Sobre a atuação policial

 

A Polícia Militar destaca que a atuação neste tipo de ocorrência é de se preservar vidas e aplicar a lei. Infelizmente, nos casos em que há resistência ativa por parte dos cidadãos infratores, seguindo os limites preconizados nacional e internacionalmente sobre utilização da força e arma de fogo, não restou outra alternativa senão preservar a integridade física da equipe. Informa também que já foram adotadas as providências preliminares, conforme orienta a legislação específica e os fatos serão apurados em Inquérito Policial Militar, em fase de instauração. A PM destaca ainda que nos casos de morte por intervenção de agente do Estado, os militares são submetidos a acompanhamento psicológicos, em virtude de exposição a traumas, a fim de resguardar a saúde física e mental dos profissionais.

 

Postado em Sexta, 01 Março 2019 13:44 Escrito por

Charley Gomes da Silva é  suspeito de roubo e latrocínio na cidade de Araguaína. Camila Pereira da Silva, ela é a principal suspeita de matar, em Palmas, José Alexandre Rodrigues. Antonio Benício de Carvalho, foi preso acusado de extorsão

 

Com Assessoria da SSP

 

Polícia Civil prende foragido da justiça suspeito de latrocínio no interior do Estado

 

A Polícia Civil do Tocantins efetuou a prisão de Charley Gomes da Silva, de 33 anos, suspeito de roubo e também de latrocínio na cidade de Araguaína e foi capturado, em flagrante, quando se encontrava em via pública na cidade de Juarina.

 

De acordo com informações da 7ª Delegacia Regional da Policia Civi, agentes realizavam diligências na cidade de Juarina com o objetivo de recuperar um aparelho celular e uma motocicleta que haviam sido roubados na cidade de Colinas – TO, quando abordaram Jardene Miranda da Luz, de 19 anos, que estava de posse do aparelho celular roubado. No entanto, Jardene afirmou que havia adquirido o bem de uma pessoa conhecida como Charley.

 

Desse modo, os policiais civis localizaram o indivíduo mencionado e o conduziram até a delegacia, onde apresentou cédula de identidade e Carteira Nacional de Habilitação em nome de Anderson Marques da Silva, afirmando que Charley era seu apelido.

 

Dando continuidade às diligências, os agentes localizaram a pessoa de Glenestones Castro Santos, de 42 anos, conduzindo a motocicleta roubada, o qual também indicou a pessoa de Charley e outro indivíduo como as pessoas que lhe venderam a motocicleta.

 

Quando Charley se encontrava na unidade policial para a confecção dos procedimentos cabíveis, um dos agentes se recordou de uma diligência ocorrida, há aproximadamente três anos, para apurar a conduta do mesmo indivíduo e que, na época, ele teria fugido. Através de provas testemunhais, os policiais civis obtiveram informações de que Charley era foragido da justiça e apresentava a qualificação de um irmão que já havia morrido.

 

Assim, enquanto a equipe estava verificando a autenticidade dos documentos, Charley, em desespero por perceber que haviam descoberto sua real qualificação, tentou empreender nova fuga, porém, foi contido de imediato.

 

Por meio de levantamentos, os policiais civis da 7ª DRPC descobriram que a verdadeira qualificação do homem é Charley Gomes da Silva, 33 anos, foragido da Comarca de Araguaína – TO, por ter praticado o crime de Latrocínio (roubo seguido de morte). No decorrer da ação, os agentes constataram ainda que o indivíduo e um comparsa são os principais suspeitos do roubo do celular e da motocicleta e de outros roubos cometidos em um assentamento rural, no município de Bernardo Sayão.

 

Diante dos fatos, Charley foi autuado em flagrante pela prática dos crimes de roubo e falsa identidade. Na ocasião, a autoridade também deu cumprimento ao mandado de prisão em aberto pelo crime de latrocínio.

 

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, Charley foi recolhido à Cadeia Pública de Colinas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

 

Suspeita de cometer homicídio no Tocantins é presa pela Polícia Civil em Goiás

 

Por Rogério de Oliveira

 

Uma ação integrada de combate à criminalidade deflagrada nesta terça-feira (26) pela Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), de Palmas, e pela Delegacia de Polícia Civil Distrital de Inhumas, Estado de Goiás, resultou na prisão de Camila Pereira da Silva, de 28 anos. Ela é a principal suspeita de matar, em Palmas, José Alexandre Rodrigues, de 59 anos.

 

Conforme o delegado titular da DHPP, Guido Camilo Ribeiro, as investigações da delegacia especializada demonstraram que Camila teria cometido o homicídio para se defender, em razão da tentativa da vítima de agarrá-la a força. “Desde o encontro do corpo de José Alexandre, em sua residência na Quadra 605 Norte, em Palmas, nossas equipes estavam nas ruas na tentativa de elucidar o crime e acabamos descobrindo que a Camila teria estado com a vítima, quando se desentenderam e ela o golpeou com uma faca, deixando o objeto cravado em seu peito”, esclareceu.

 

Após um intenso trabalho investigativo, os policiais civis descobriram que logo após cometer o homicídio, em 4 de fevereiro, a mulher fugiu para Inhumas – GO, onde estava residindo desde então. “Quando identificamos Camila como sendo a autora do crime e descobrimos seu paradeiro, solicitamos apoio da Polícia Civil de Goiás, sendo que a equipe comandada pelo delegado Miguel da Mota Leite Filho localizou e efetuou a prisão da autora na cidade goiana”, ressaltou Guido Camilo.

 

Na Delegacia, Camila confessou o homicídio e voltou a ressaltar que teria agido em legítima defesa. Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, a mulher foi recolhida à Cadeia Feminina de Inhumas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário do Tocantins.

 

O delegado Guido Camilo ressalta ainda que, nos próximos dias, a mulher deve ser recambiada para Palmas, a fim de que responda pelo crime que lhe é imputado.

 

Polícia Civil prende em Luzimangues homem suspeito de extorsão

 

Por Wherbert Araújo

 

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais – DEIC PALMAS, prendeu em flagrante na tarde desta terça-feira, Antonio Benício de Carvalho,45, pelo crime de extorsão. O homem é suspeito de fazer ameaças a um empresário devido a cobrança de uma suposta dívida.

 

De acordo com o delegado Wanderson Chaves de Queiroz, um empresário, residente no distrito de Luzimangues, procurou a delegacia afirmando que estava sofrendo grave ameaça por parte do suspeito, o qual lhe cobrava o pagamento do valor de R$ 40 mil referente a parte do valor negociado na compra de um caminhão. “Todavia, conforme esclareceu a vítima, esta não seria obrigada a pagar os cheques, porque durante a execução do negócio ocorreu uma quebra de contrato, e os fatos estavam sendo questionados em processo cível”, ressaltou o delegado.

 

Ainda de acordo com o delegado, a grave ameaça consistiu supostamente na afirmação pelo suspeito de que conhecia detalhes da vida da vítima, de seus filhos e pais, que receberia o valor de qualquer forma, e se não ocorresse o pagamento, que a vítima arcaria com as consequências, fazendo crer que estavam em risco a sua vida e de seus familiares.

 

Após realizar o flagrante, foram localizadas as quatro folhas de cheque que motivaram a extorsão, além de outras três folhas de cheque e uma nota promissória, todas entregues a Antonio para cobranças.

 

Após a autuação, o suspeito foi encaminhado para a Casa de Prisão Provisória de Palmas e ficará à disposição da Justiça.

 

Postado em Quarta, 27 Fevereiro 2019 05:00 Escrito por

Policiais Civis da 5a Delegacia de Polícia de Palmas, coordenados pelo delegado Marivan da Silva Sousa, prenderam, em flagrante delito, nesta segunda-feira (25), Maycon Lopes Pinheiro, Rafael Abreu de Oliveira e Thalita Souza Pinheiro, pela prática de furtos qualificados em duas residências, localizadas no Setor Santa Barbara, em Palmas

 

Com Assessoria

 

De acordo com o delegado Marivan, os suspeitos invadiram duas residências localizadas na mesma Rua do Setor Santa Bárbara, de onde subtraíram diversos eletrodomésticos e objetos.

 

Imediatamente após o crime, os policiais civis iniciaram as investigações, que resultaram na identificação da participação de Maycon, Rafael e Thalita, que usaram um veículo Fiat Uno, de propriedade de Maycon, para fazer o transporte dos objetos furtados.

 

Após a identificação dos autores, a equipe da 5a DPC intensificou as buscas, localizando o paradeiro dos três autores, que, após a prisão, confessaram o crime e ainda indicaram a localização dos eletrodomésticos e objetos furtados.

 

O grupo já tem várias passagens pela polícia e estava sendo investigado por participação de furtos ocorridos em residências da região sul da capital, nas últimas semanas.

 

Na delegacia, os investigadores descobriram, ainda, que havia um mandado de prisão em aberto pelo crime de roubo, proveniente da Comarca de Porto Nacional, em desfavor de Maycon Lopes. Desse modo, a ordem judicial também foi cumprida.

 

Após a realização dos procedimentos legais cabíveis, Thalita foi recolhida à Unidade Prisional Feminina da Capital. Já Maycon e Rafael foram encaminhados à Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPPP). Todos permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Postado em Terça, 26 Fevereiro 2019 05:20 Escrito por
Página 1 de 33