GOVERNADOR MAURO CARLESSE LIBERA OBRAS DA NOVA PONTE E ANUNCIA PARA BREVE INSTSLAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRAS EM PORTO NACIONAL

Posted On Terça, 18 Junho 2019 05:51
Avalie este item
(0 votos)

 

O governador Mauro Carlesse esteve em Porto Nacional, nesta segunda-feira (17) para liberar a passagem de carros de passeio e anunciar, para o mais breve possível, a instalação do canteiro de obras que dará o pontapé inicial para a construção da nova ponte sobre o Rio Tocantins

 

Por Edson Rodrigues

 

Carlesse afirmou que falta apenas um acerto de agenda entre os secretários da Fazenda, Sandro Henrique Armando e da Infraestrutura, Renato Assunção, para acertarem a liberação dos recursos para a obra.

 

O governador relatou seu empenho para a viabilização dos recursos do que chamou de “importante obra”, dada a sua função de elo para toda a economia da Região Central do Estado, fazendo questão de ressaltar que os mesmos recursos que possibilitarão a obra da ponte, irão beneficiar, também, os 139 municípios do Tocantins, incluindo Araguaína e Gurupi, que, finalmente, receberão seus Hospitais Regionais.

 

Governador Mauro Carlesse e o secretário Renato Assunção

 

Com todas as obras em andamento, serão gerados cerca de 22 mil empregos diretos e outros milhares, indiretos, movimentando a economia de todo o Tocantins.

 

CAUTELA

Vale ressaltar que o governo Mauro Carlesse aposta todas as suas fichas na liberação dos empréstimos junto à Caixa Econômica Federal e ao Banco do Brasil, que, se tudo der certo, beneficiará os 139 municípios tocantinenses, e está 100% certo de que tudo sairá como o esperado.

 

O problema é que ainda não há os mesmos 100% de certeza por parte dos agentes financiadores, o que, se ocorrer, pode jogar por terra todo o projeto político e administrativo do atual governo.

 

Por isso, é necessária muita cautela na divulgação e nas ações periféricas quanto à liberação dos empréstimos, pois todas as cartas foram expostas à mesa.  É tudo ou nada para o governo e, enquanto houver a mínima chance de dar errado, não se pode cantar vitória.

 

Mas, pelo andar da carruagem, o governo deve “estar com o zap na mão”, por estar tão certo da liberação dos recursos.

 

Torçamos para que assim seja, pois benefícios para o povo tocantinense são sempre benvindos!

 

 

AUSÊNCIA

Durante o anúncio, notou-se a ausência do prefeito de Porto Nacional, Joaquim Maia (foto), o que deixou transparecer que a convivência entre o governador do Tocantins e o prefeito de Porto Nacional não está nada harmônica, o que, no frigir dos pratos, acaba não sendo bom para os cidadãos de Porto Nacional.

 

 

 

MUDANÇA NA COMUNICAÇÃO

Dizem que em time que está ganhando não se mexe.  Mas, time que está ganhando, pode sempre melhorar.  Esse foi o motivo pelo qual o governador Mauro Carlesse projetou seu marqueteiro das últimas três eleições vitoriosas, João Neto, até então seu secretário de Comunicação, para a assessoria de Políticas de Governo Descentralizadas, colocando como seu secretário de Comunicação o experiente – e comprovadamente eficiente – Sebastião Vieira de Melo.

 

 

Vieira de Melo, (foto) como é mais conhecido, já participou de diversas campanhas vitoriosas e foi secretário de Comunicação por quatro mandatos e presidente da antiga Comunicatins, nos governo de Siqueira Campos. Tem um ótimo trânsito com a imprensa tocantinense e é quase um guru das agências publicitárias do Tocantins.

 

SIGNIFICADOS

Com essa mexida, Mauro Carlesse indica os candidatos a prefeito e à reeleição da base política do Mauro Carlesse só têm a ganhar com a divulgação das ações governamentais, dando a eles condições de associar os avanços de seus governos às ações do governo estadual, mostrando que sua administração é, acima de tudo, municipalista.

 

João Neto

 

Essa associação entre boas administrações e o governo do Estado ficará a cargo de João Neto, que se concentrará sua atuação nos cuidados com a imagem positiva do governo Mauro Carlesse e nas ações junto a parceiros, administrações municipais, interação com prefeitos e a visibilidade positiva do governo junto à sociedade.

 

Enquanto isso, Vieira de Melo cuidará da mídia institucional do governo e do relacionamento com a mídia em geral, sempre em conexão direta com João Neto, possibilitando uma condição para que os dois falem sempre a mesma linguagem tanto jornalística quanto publicitária.

 

SENADO

Enquanto isso, todos os trabalhos de marketing e de divulgação do governo Mauro Carlesse, ao mesmo tempo em que trabalham para o seu governo e para os candidatos do interior, estarão trabalhando, também, pela pré-candidatura de Mauro Carlesse pela vaga que se abrirá no Senado Federal.

 

Carlesse larga na frente não só com o trabalho que poderá desenvolver por meio de seus aliados, como também pela provável liberação dos empréstimos junto ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal, assim como com os recursos do pré-sal, dos quais o Tocantins tem direito a mais de 923 milhões de reais, das emendas impositivas e individuais da Bancada Federal do Estado que, se nada der errado, entrarão nos cofres do Estado ainda este ano.

 

Ou seja, Carlesse terá como enviar para os 139 municípios do Estado recursos para obras muito bem-vindas, oxigenando as administrações municipais e podendo capitalizar tudo em votos e, como bom empresário que é, Carlesse promete cobrar de cada prefeito, de cada município beneficiado, seu quinhão de responsabilidade nas obras realizadas.

 

OPOSIÇÃO

Enquanto isso, a oposição à Carlesse permanece anêmica e desunida, permitindo ao governador voar em “céu de brigadeiro”.

 

Sabemos que essa situação não vai durar muito tempo, a depender da capacidade de mobilização das principais lideranças oposicionistas para a união rumo a um enfrentamento político aos candidatos apoiados pelo Palácio Araguaia, principal e crucialmente nos 12 colégios eleitorais prioritários.

 

Está claro que a sociedade clama por mudanças nas administrações municipais e nos Executivos e esta será a última chance de mudar substancialmente o rumo da política municipalista, uma vez que ainda haverá coligação majoritária e o fundo eleitoral partidário.

 

O horário eleitoral gratuito de Rádio e TV se tornarão armas poderosas para cada partido e cada candidato, pois o fim das coligações proporcionais, decretam o fim dos candidatos “puxadores de votos”.

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-500.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias