RETOMADA DAS OPERAÇÕES CONTRA A CORRUPÇÃO VOLTA A COLOCAR O TOCANTINS “NA MIRA”: QUE SEJA FEITO O QUE TEM QUE SER FEITO PARA PASSAR NOSSO ESTADO A LIMPO

Posted On Quinta, 13 Fevereiro 2020 06:24
Avalie este item
(0 votos)

O Orçamento da União para 2020 foi liberado e, associado ao fim das férias forenses, os competentes fiscais do povo – Ministérios Público Federal e Polícia Federal – poderão empenhar diárias, planejar custos de deslocamentos aéreos e terrestres e, a qualquer momento, dar continuidade às operações para concluir investigações em todo o território Brasileiro, inclusive no Tocantins.

 

Por Edson Rodrigues

 

Ou seja, está chegando a hora da população tocantinense voltar a acompanhar as operações em território tocantinense e, com tristeza, ver revelados os nomes dos homens públicos que se deixaram levar pelo caminho torto da perversidade e da corrupção, tirando dinheiro da Saúde de forma impiedosa, sem nenhum remorso.  Recursos que se tivessem chegado à sua destinação final, poderia ter salvo a vida de milhares de pessoas, que poderiam estar com seus familiares neste momento.

 

Dinheiro que se tivesse chegado ao seu destino final, poderia ter virado asfalto, pavimentação e, principalmente pontes, mais precisamente 170 pontes, das quais, pelo menos, 30 nem chegaram a ser construídas, mas custaram 1,4 bilhões de reais não só aos cofres públicos, mas aos bolsos do público, da população.

 

QUE FIQUEM OS EXEMPLOS

Os prejuízos que as patifarias da corrupção trouxeram ao Tocantins são, apesar de contáveis, incalculáveis em termos de projeção do que o nosso Estado poderia ser hoje em termos de infraestrutura, Saúde, Educação, Transportes, Segurança Pública, Assistência Social, enfim, em todos os setores da administração estadual, e como o Estado está, tendo que depender de ações impopulares, deixar servidores exonerados para voltar a se enquadrar na Lei de Responsabilidade Fiscal em busca de liberação de empréstimos com organismos federais para fazer obras.

 

 

Muitos dos tocantinenses que se deixaram envolver pelas garras da corrupção tinham ótima relação com os profissionais da área da comunicação, mas, independente da amizade, nós, como dirigentes de veículos de comunicação, não podemos ser omissos, muito menos coniventes, senão estaríamos fazendo tanto mal ao povo tocantinense quanto aqueles que prevaricaram do alto de seus cargos públicos.  Nosso papel é noticiar, comunicar, deixar a população a par dos fatos, por piores que sejam.

 

Felizmente, pela ação dos órgãos investigativos como a Polícia Federal, Polícia Civil, Ministério Público Estadual e Federal e a Justiça Federal, essas pessoas que foram fracas,  iludiram o povo tocantinense e chafurdaram na lama da corrupção, estão obtendo como “lucro” de suas ações, temporadas atrás das grades, vergonha pessoal e familiar, condenações, bloqueio de bens e a “extrema unção” de suas carreiras públicas.

 

Esse é o exemplo que fica para as pessoas, homens e mulheres que estão entrando ou fazem parte da vida pública, para que reflitam se realmente vale à pena cometer crimes de corrupção.

 

QUE SE PASSE A LIMPO

Apesar de ser o Estado mais novo da federação, o Tocantins, como já nos envergonhamos  em dizer várias e várias vezes, é o campeão em número de operações policiais de combate à corrupção.  A política de nosso Estado tem a fama de ser uma espécie de “escola de corrupção, com métodos e modus operandi próprio, avançados.

 

Foram – e, infelizmente ainda serão – dezenas de operações realizadas pelos mais diversos órgãos investigativos federais e estaduais em combate à corrupção no Tocantins, com um ótimo trabalho desenvolvido pelos valorosos agentes federais, homens e mulheres imbuídos de fazer cumprir a Lei seja de qual escalão for o infrator.  Graças a eles, está chegando a hora de muitos contraventores prestarem contas à Justiça Federal e Estadual.

 

Aos homens e mulheres do nosso competente Ministério Público Estadual cabem milhares de processos investigativos de corrupção, que envolvem desde desembargadores, ex-governadores, detentores de mandatos nos diversos legislativos  municipais, dezenas de prefeituras e outros órgãos coligados, e, agora, ficar atentos aos novos acontecimentos e processos que chegarão às suas mãos com as novas ações que terão lugar no Tocantins.

 

 

A liberação do Orçamento, como já dissemos, vai redundar em novas operações.  A qualquer momento a Polícia Federal pode estar “acordando” políticos, empresários, agentes públicos e qualquer classe de cidadãos que tenha se atrevido a usar dinheiro do povo para benefício pessoal.

 

Nossa população aplaudirá todas essas operações como aplaudiu as demais.  O povo cansou de estar nas mãos de gente incapaz de pensar no próximo na hora que vê dinheiro e infalível na hora de ludibriar, convencer e enganar os eleitores.

 

Basta de corrupção.  Que o Tocantins seja passado a limpo!

 

Até breve...

Pesquisa

Última edição

o-paralelo-13-edicao-502.jpg

Boletim de notícias

Boletim de notícias

Colunistas

 

Últimas notícias